A diferença cultural...na cozinha

Lembro-me que muitas pessoas me perguntaram como eu e o meu marido lidávamos com as diferenças culturais. Ele europeu, eu brasileira morando nos Estados Unidos.
Na verdade nós nunca tivemos problemas de adaptação, mas lembro que no início do namoro eu vivia emburrada e encucada com as coisas que ele me dizia. Não por dificuldade no idioma, mas porque como boa brasileira ficava a todo momento tentando achar o "por entre linhas" ou "o que você realmente quis dizer com isto". Foram bons meses para entender que o que era dito era aquilo e ponto final.
Como cristãos e com fortes valores familiares, mesmo crescendo em continentes diferentes temos muita coisa em comum, e às vezes a cultura americana parece bicho estranho pra gente.
Agora uma coisa que é uma diferença cultural quase gritante acontece na cozinha. Morando há 4 anos e meio por aqui já peguei o hábito de comer apenas cereal de manhã com leite, ter um almoço leve e um jantar mais caprichado. Também aprendi a uma vez por semana comer "cooked breakfast", ou seja, ovos, bacon, torradas.
Uma coisa que nunca falta em casa é pão de queijo, carinhosamente chamado pelo marido de "Ponji". E claro, ele não dispensa uma farofa, feijoada (que particularmente não como), churrasco, coxinha. De vez em quando ele faz sopa de ervilhas ou uma torta de carne típica da cultura dele também.
Agora certas coisas que pra mim não descem de jeito nenhum: torrada com feijão enlatado, torrada com queijo e mostarda. Pra ele o que não desce de jeito nenhum são coisas como: vitamina de abacate, banana amassada com mel, macarrão com alho, óleo e ovos.
Claro que cada um tem um gosto particular para comida, mas acho engraçado quando começamos a contar as coisas que costumávamos comer quando crianças.
Graças a Deus não tenho um marido chato para comida, então a maioria das coisas que preparo sejam elas típicas do Brasil ou não ele come com o maior gosto e não é sempre que tenho consciência da nossa diferença cultural em relação à comida, exceto como um dia ele pediu pra eu fazer vitamina e pedi para ele cortar a manga pra colocar no liquidificador. O diálogo seguiu-se da seguinte forma:
- Querida, como eu corto a manga?
- O que? Você não sabe como cortar uma manga?
- Querida, lembre-se que onde eu nasci não se tem manga!
- Descasca, e vai cortando as fatias, mas toma cuidado com o caroço.
- Caroço? E manga tem caroço?
( Comecei a pensar de que planeta o meu marido veio...) - Sim querido, tem um caroço enorme.
-Tá. É que eu sempre comprei manga em cubinhos na sessão de congelados... - e começa a cortar manga com a maior cara de nojo por ser lisa e gosmenta e eu morro de rir com a cena...

Nos momentos em que nossas diferenças aparecem, principalmente de costumes alimentares, respeitamos muito um ao outro e tentamos experimentar e aprender sobre a cultura do outro, porque não existe uma coisa certa ou errada. E por isto mesmo, a minha família do Brasil fica impressionada com a quantidade de comida que ele conhece por nome e disse que gosta de comer, e eu espero não fazer cara feia e fazer feio quando visitar a família dele na Europa também. =)

Comments

  1. Ainda bem que ele nao eh enjoado para comer, mas achei engracado a cena da manga..rsrs

    Nao vi seu nome em lugar nenhum do blog, e sei que vc nao quer muito se expor, mas fiquei na duvida se vc eh uma amiga minha q sumiu da blogosfera ha algum tempo, Eliana,( sinto saudades dela) se nao for, quero agradece-la pela visita e dizer que estarei te acompanhando tb :)

    ReplyDelete
  2. Olá!!! Vim retribuir a visita! Desculpa a demora, mas os últimos dias estão bem corridos. Adorei esse post! A história da manga foi ótima! kakak Tadinho do seu marido! Que bom que vocês conseguem lidar com tantas diferenças. Beijos

    ReplyDelete
  3. Que história engraçada essa da manga! hehehe. Me lembrou meu namorado com maracujá. Ele abrindo o maracujá, maravilhado com as sementinhas dentro! rsrs tb teve coisas q eu não conhecia e ele ficava "ei, mas como assim vc não sabe??" hehe.
    É muito doido essa coisa do entre-culturas. Meu namorado é de família chinesa, naturalizado americano, então muita coisa q eu conheço é mais de asiático do que de "white guy". rsrsrs.
    Minha irmã gêmea mora na Europa e tem amigos europeus q moram ou moraram nos EUA. É tão engraçado conversar com eles sobre as diferenças culturais entre europeus, brasileiros e americanos.

    ReplyDelete
  4. Oi Bela, Karol e Caliane!
    Obrigada pela visita e comentário!
    Agora eu imagino que você deve passar por umas experiências interessantes Caliane, porque o que os chineses comem por aqui, eu não passo nem perto porque fico mal. rsrs.

    ReplyDelete
  5. hahahahaha eu passo mesmo, eu ODEIO comida chinesa com todo meu ser!!! kkkk eu passo muito mal... cada porcaria q eles comem q eu fico horrizada... mas quando saio com a família dele, tenhoq finjir q gosto... acho um saco.. pq eles sabemq tenho problemas de saúde, sabemq já fiz cirurgia no intestino 3 vezes, mas adianta falar? affff SUFRIDO!! rsrsrs

    ReplyDelete
  6. Eu adoro um cereal pela manhã.
    Nossa, vitamina de abacate é tudo de bom. Mas gosto tem que ser respeitado, né?
    Morri de rir com a história da manga.
    Adorei passar por aqui.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ReplyDelete
  7. Obrigada!!!
    Volte sempre!
    Beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ReplyDelete

Post a Comment

Deixe seu comentário, dúvidas, sugestões ou perguntas para a Paulistana na Califórnia!
Seu comentário será lido e respondido assim que possível!
Obrigada!!

Popular posts from this blog

É legal viver ilegal nos EUA?

...

O dia que a professora de espanhol quase enfartou em classe