Saindo da zona de conforto

Foi preciso sair da  zona de conforto (nem tão confortável assim) há 4 anos e meio para realizar um sonho de menina: conhecer o mundo. O mundo que eu conhecia era São Paulo, cidade maluca, com muito trânsito, pouca segurança, muito trabalho, pouca diversão, nenhuma praia.
Muitos dos que me conheciam diziam que eu era corajosa, sair do conforto da Pátria amada para desbravar o mundo frio dos americanos. Pra ser sincera não era bem coragem o que eu tinha, mas sim um desejo imenso de realizar. Um desejo que cresceu mais ainda no dia que alguém me disse: "você não vai conseguir".
Cheguei,  instalei-me em New Jersey e fui feliz por longos 8 meses. Estava contente com o meu mundo nos subúrbios de New Jersey, perto de NYC, planos mil para o ano seguinte, quando fui forçada novamente a sair da minha zona de conforto.
Não queria mudar. Não queria mexer em nada, tudo estava tão perfeito, tão bom! Tive a escolha, a difícil escolha de continuar ali no mundinho Newjersiano, voltar para o meu mundinho Paulistano tão familiar ou mudar radicalmente. Mudar para um local totalmente diferente, um lugar que só conhecia pela TV e fotos. Um lugar que não sei porque motivo me atraía com suas belezas naturais, mas que também morria de medo porque na minha cabeça era sinônimo de terremoto.
A cabeça estava feita. Queria ir pra Califórnia. Quase fui morar em San Francisco, quase fui parar em San Diego, mas acabei atravessando a Golden Gate Bridge para morar em um dos lugares mais ricos da Califórnia.
E claro que no meio daquele luxo todo, de casas lindas e grandes, de carros caríssimos, pessoas bem vestidas e cheia de educação, de famílias dignas de foto para colocar em porta-retratos, encontrei-me no lugar mais desconfortável da minha vida. Não me sentia em casa, sem muitos amigos, perguntando-me quase todos os dias que raios que estava fazendo naquele lugar.
Por que é que eu havia deixado o conforto do meu lar, do meu país para vir parar aqui mesmo? Época de adptação, que trouxe-me inúmeras lágrimas, momentos de solidão e dúvidas.
E aí encontro o marido gringo e todos os planos mudaram. Veio a mudança de endereço, de planos, de estado civil. A mudança de emprego, de ambições, de círculo de amizades.
E quando eu achei que agora sim, tudo está perfeito, lá vem a direção divina dizendo que é hora de levantar o meu bumbum do sofá, deixar o cobertor de lado, sair do conforto do conhecido novamente.
E cá estou eu agora, pronta para enfrentar o não tão confortável banco de faculdade.
Como das outras vezes, há uma mistura enorme de ansiedade, de medo, de certeza de que tudo vai dar certo no final, muitas conversas com Deus para me preparar para o desconhecido e para os momentos de dificuldades que virão.
Pra ser sincera,  nunca fui muito fã do desconhecido, mas ao longo dos anos aprendi que existem momentos na vida que é preciso sair do nosso confortável mundinho. As novas experiências e situações vividas não trazem apenas um colorido para nossa vida, mas também a oportunidade de crescimento, aprendizado.
Às vezes imagino como seria a minha vida se eu tivesse sido paralisada pelo medo ou pela preguiça. Teria deixado de viver tanta coisa, de conhecer tantos lugares e pessoas! Tenho certeza de que seria uma pessoa muito diferente do que sou hoje.
Por isto é hora de respirar fundo e encarar o desafio com bom humor, coragem e fé, muita fé.

Comments

  1. Que interessante, sua vida. Sempre tive vontade de cohecer o mundo. Só que no meu caso, eu sempre tive vontade de sair da minha zona de desconforto. Acho que desde criança eu tinha vontade de ir morar em outros países, conhecer outras línguas e culturas, não só pelo aspecto interessante da coisa, mas também por ser uma fuga de tudo ao meu redor que me sufoca. Mas enquanto os anos se passavam, esse sonho parecia cada vez mais distante, e eu cada vez mais frustrada. Deus sabe das coisas, acho que Ele faz o contrário da nossa vontade só para sabermos que Ele é Deus, Ele é quem manda, e não nós mesmos. Mas Deus é bom, e apesar dos contratempos, eu tive a oportunidade maravilhosa de conhecer o meu próprio país (que era um sonho meu também), através da faculdade pude ir a vários estados para congressos, sem pagar nada (a faculdade cobria tudo). Aí sempre que tinha congresso em qualquer lugar, lá estava eu me inscrevendo para concorrer às vagas... muito bons aqueles tempos de faculdade! e também, claro, Deus me deu a oportunidade de conhecer um pouco dos EUA, por causa do namorado (que Deus me deu no momento em que eu menos esperava). Agradeço a Deus pq pude conhecer lugares como o Califórnia, maravilhosa (tb amo esse lugar assim como vc! de norte a sul ela é linda). DC, a capital americana (amo esse lugar tb!!), um pouco de NJ e NYC (prefiro DC e Cali rsrsrs).
    Depois de algumas reviravoltas na minha vida que ocorreram há quase 6 anos atrás, eu cheguei à conclusão de que tenho que estar bem de qualquer maneira, tenho os sonhos realizados ou não, o importante Deus tem me dado, a oportunidade de conhecê-lo, andar com Cristo, um lar, uma família, nada nunca me faltou. Assim vivo hoje em dia, se eu puder conhecer mais do mundo, estarei feliz, mas se não puder, não vou me entristecer por isso. O que Deus tem me dado é muito mais do que mereço! :) Um dia uma tia minha me disse que "felicidade é ter saude e não dever nada a ninguém"... e eu achei muito sábio da parte dela!! rsrs. Apesra das frustrações, Deus sabe os melhores caminhos e tenho que ser grata.
    E com relação à faculdade, que Ele ilumine sua mente para seus novos estudos! que vc possa aprender muito mais do que vc imagina, em nome de Jesus :)

    ReplyDelete
  2. Que linda, adorei seu post! Que linda sua história! Já adicionei o seu blog na minha lista de favoritos, e virei sempre te visitar, beijos! :)

    ReplyDelete
  3. Oi, obrigado por comentar em meu blog...Concordo plenamente com vc, talvez tenha me expressado mal, minha intenção não foi dizer que uma é melhor e outra pior, foi só mostrar o diferente...O que quis dizer é com relação a freequentar igreja..No Brasil geramente um evangélico que não vai aos cultos se declara desviado, aqui vc encontra americanos que nao vao a igreja desde a infância e continuam se declarando evangélicos...muito legal seu blog..bjs bom fim de semana

    ReplyDelete
  4. Olá, mto bacana este seu post!!! Acho que explorar é sempre algo mto positivo, sabe aquela coisa de deixa a vida te levar? Nunca fui mto boa nisso, e foi por isso que acabei na Terra do Tio Sam tbm rsrs Uma das minhas melhores amigas mora em São Francisco, ela era minha supervisora qndo trabalhava em Cleveland! Olhando suas fotos do Golden Bridge me deu fanqiuito de ir por estas bandas rsrs sempre tive vontade de visitar a ponte e tbm Alcatraz, qm sabe um dia rsrs Bjuss

    ReplyDelete
  5. oii...quando fostes para a california, foi com troca de família? ou por conta própria?

    ReplyDelete
    Replies
    1. Quando me mudei para a Califórnia foi troca de família no meu segundo ano de au pair.

      Delete

Post a Comment

Deixe seu comentário, dúvidas, sugestões ou perguntas para a Paulistana na Califórnia!
Seu comentário será lido e respondido assim que possível!
Obrigada!!

Popular posts from this blog

É legal viver ilegal nos EUA?

...

O dia que a professora de espanhol quase enfartou em classe