Posts

Showing posts from 2013

Até 2014!!!

Chegou novamente aquela época do ano de olhar para trás e ver tudo o que aconteceu durante o ano e fazer milhões de planos para o ano que se aproxima.
Aproveitei muito o começo de dezembro para ver decorações de Natal pela cidade, participar do musical de Natal da igreja e ir à San Francisco para ver o Santa Con - o encontro de muitas pessoas vestidas de Papai Noel/ Mamãe Noel/ Elfo/ Rena / Árvore de Natal com o único intuito de ir de bar em bar encher a cara... tinha todo tipo de papai noel, até 2 pelados que só tinha um chapéu na cabeça... coisas que a gente só vê em San Francisco...
A cidade está bem enfeitada e a casa de biscoito de gengibre de 2 andares estava linda no hotel Fairmont. Ai que cheiro maravilhoso dentro da casa, uma vontade de morder um pedaço daquela casinha!
Mas enfim, com uma semana para a chegada do Natal, sei que ficarei na correria e provavelmente só irei retornar por aqui em 2014... sou muito grata a Deus por tudo de bom que aconteceu em 2013, emprego novo, a…

Quando olho para o mundo...

... enxergo um mundo carente de amor.
Uns dias atrás li um post curtinho, mas sobre um assunto tão verdadeiro e tão profundo no blog da Bah sobre ser gentil com outras pessoas porque a gente não tem a menor idéia do que eles estão enfrentando...
E pra ser sincera, ser gentil, dar bom dia, respirar 10 segundos a mais pra não dar resposta mal-educada, ajudar, doar seu tempo ou dinheiro, ligar, escrever uma carta, dar palavras de consolo ou simplesmente emprestar um ouvido... as pessoas estão carentes destas coisas, porque neste mundo em que vivemos parece que tudo é tão focado no eu, eu eu eu eu eu eu e na perfeita imagem das redes sociais, que há muitos por aí escondendo por trás de um sorriso uma dor imensa que está prestes a ser dividida com aquele que ao menos parar um minuto para perguntar e escutar a resposta do: "Como você está?".
Quando eu tiro o foco da minha dor e estendo a mão para a pessoa que está próxima de mim, sinto que de uma forma ou de outra as minhas necess…

Como trazer a mãe pros States e não enlouquecer (pelo menos tentar não enlouquecer)

Depois que escrevi o post sobre a visita da minha mãe, algumas pessoas me perguntaram se haviam dicas para quem está trazendo os pais que não falam inglês para visitar.
Esta foi a segunda vez que a minha mãe veio, mas na primeira vez fiz tudo exatamente igual (com a exceção de que eu mandei um telefone pré-pago baratinho via correio pra ela) e ela se sentiu segura para viajar.
As dicas que a minha mãe disse que ajudaram muito foram:
Expliquei 200 milhões de vezes pra ela o que iria acontecer entre o momento de check-in no Brasil, até nos encontrarmos. Na verdade eu escrevi um papel como se fosse um manualzinho de instruções passo a passo o que iria acontecer, passando pela segurança, avião, passar pela imigração, pegar as malas, passar pela alfândega, despachar as malas novamente (ela iria fazer conexão). Entreguei o papel um mês antes da viagem e pedi para que ela lesse e ela foi tirando as dúvidas que tinha, e eu fui explicando melhor o que ia acontecer. Não elaborei muito com os pro…

"Se você não se cuida, você não se ama."

Este sábado fui à cabeleleira. E como sempre, ela joga a conversa de que eu precisava pintar o cabelo para esconder os fios brancos, porque afinal, mulher tem que se amar e se cuidar.
Vou levar em consideração que ouvi a frase de uma pessoa que ganha vida fazendo transformação na cabeleira dos outros, mas olha, eu fico meio brava quando alguém vem com este papo que se você não se cuida, você não se ama. Quer dizer que pelo simples fato de que eu assumo os meus cabelos brancos eu não me amo? Ou porque eu continuo contra a moda do alisamento/relaxamento e afins e assumo com orgulho os meus cachos naturais e nem sempre tenho tempo de fazer e pintar as unhas eu não me amo?
Não ando por aí maltrapilha e descabela, que fique bem claro, e admiro bastante as pessoas que fazem a maior produção de visual e se arrumam super bem, mas só porque eu não tenho o visual da Kim Kardashian e o cabelo daquela atriz que está fazendo sucesso na Globo, não venha me dizer que eu não me cuide e não me ame.
C…

Mãe da Paulistana na Califórnia...

Os dias que antecederam a viagem dela até aqui foram super estressantes pra mim, e exatamente como da outra vez, quase tive um troço de preocupação em como ela iria se virar do aeroporto de Guarulhos até aqui sozinha, sem falar uma única palavra em inglês.
 Sei que muitas pessoas passam por situação semelhante quando os pais viajam pra cá, mas conselho de amiga, tenta relaxar porque enquanto eu fiz mapa de aeroporto, glossário dos termos, bilhete com meu número de telefone e um roteiro do que ia acontecer passo a passo do check-in em Guarulhos até o nosso encontro em San Jose, a minha mãe nada boba tratou de "fazer um amigo" no avião que a ajudou a preencher papel da alfândega - o formulário I94 não é mais preenchido  - e a ajudar a passar pela imigração.
Na primeira vez o oficial conversou com ela em espanhol e ela tinha certeza de que era uma pessoa bilíngue porque conversou com ele com sucesso. Agora uma tradutora que trabalha no aeroporto foi chamada e ela não teve nenh…

A rebelde sem causa. Será mesmo??

Sim, me desconectei do Facebook. A princípio temporariamente, mas pensando seriamente em uma medida permanente. Os motivos são basicamente 3:
O Facebook me deixa deprimida. Sim, deprimida. Pra colocar de uma forma bem simples, a vida perfeita de comercial de margarina ou do trailer do filme curtindo a vida adoidado faz a minha vida normal parecer pior do que realmente é, menos interessante do que é. Querendo ou não rola a comparação e começo a me julgar e questionar todas as decisões que tomei na vida, porque afinal, parece que todo mundo está no rumo certo, menos eu.Cansada do contato superficial das pessoas. Hoje em dia é muito fácil curtir um comentário e uma foto, ler notícias (que foram friamente calculadas e selecionadas) em posts no facebook do que sustentar uma conversa franca e sincera, pra saber como a vida realmente está e como você se sente. Depois do meu post de despedida não recebi nenhum email ou ligação pra saber como eu estava, o que estava acontecendo. Afinal, a vida …

Onde fica o paraíso?

Quando penso em paraíso, um lugar vem a mente: Hawaii. O lugar é lindo, o clima é ótimo e o lugar inteiro tem uma "vibe" muito diferente de qualquer outro lugar que já estive. As pessoas são amigáveis, tranquilas, ninguém tem pressa, stress, até mesmo os turistas parecem ser mais amáveis uns com os outros. E sempre brinco com o meu marido de que se as coisas não derem certo pra gente aqui, vamos vender a nossa casa e vender água de coco por lá. Vida perfeita... mas será que morar lá é realmente esta maravilha????
Numa  estadia anterior, tive a oportunidade de conversar com uma jovem que trabalhava numa loja de café e tinha no pulso a tatuagem das ilhas que compõe o Hawaii. Ela disse que apesar de gostar muito daquele lugar, não via a hora de ter condições de sumir de lá, porque a vida era muito tediosa e ela tinha muitas ambições na vida, que jamais se concretizariam se ela continuasse  por lá. Confesso que esta não era a resposta que estava esperando de alguém que morasse n…

2 semanas depois...

Nem dá para acreditar que 2 semanas se passaram desde que comecei a trabalhar. A primeira semana foi complicada, porque tive treinamento que foi super cansativo e o tempo inteiro fica aquele medinho se realmente está fazendo a coisa certa. A avaliação chegou e disse que estou indo bem e pra continuar neste ritmo. O problema é que como trabalho o dia inteiro em frente ao computador, quando termino o trabalho desligo e não quero ficar mais em frente de nenhuma tela, seja computador, televisão ou celuluar... o que é bom porque vai me empurrando para fazer outras atividades que gosto muito como ler e ir caminhar com o meu marido.
E depois destas duas semanas de trabalho, eu comecei a pensar na minha vida profissional e milhões de perguntas começaram a rodear a minha cabeça e eu fiquei em dúvida se estou tomando o caminho certo ou não. O problema é que estou bem feliz e tranquila com esta vida "alternativa", ou seja, que não é comum para a maioria das pessoas que me conhecem e eu…

Novidades quentinhas do forno :-)

Hoje acordei com uma vontade inexplicável de escrever. De conversar. Acho que é aquela vontade de louca de gritar de felicidade, porque coisas boas estão acontecendo nas bandas de cá.
Ontem recebi confirmação de um emprego. Na verdade o processo já está acontecendo há algum tempo, acho que tinha enviado o meu currículo em junho para esta vaga e só agora que vou começar a trabalhar. Depois do envio do currículo, foi preenchimento de papelada, verificação se eu tenho condições legais de trabalhar no país e claro, a checagem de referências de empregos anteriores. Muita burocracia e espera, mas finalmente terminou, ou será apenas começou?
Bom, o trabalho é part-time e pra trabalhar em casa, mas quer saber? Nesta exata fase da minha vida era exatamente o que estava precisando. Acredito que é apenas uma janelinha aberta para a entrada no mercado de trabalho. Segunda-feira começo o treinamento e o trabalho, depois conto mais detalhes.
Outra notícia ótima é que a minha mãe irá passar uma temp…

Num dia qualquer em San Francisco

Image
Hoje o dia em San Francisco estava lindo. Quente, ensolarado. As pessoas estavam passeando e aproveitando o restinho de verão. Eu decidi caminhar sem rumo, mas por causa da minha limitação não fui muito mais longe do que o Pier 5, o meu lugar favorito na cidade. Enquanto caminhava depois do ATT park um estranho me abordou pedindo direção. Era um rapaz jovem, com no máximo 25 anos. Tinha um estilo mochileiro/hippie e parecia estar muito cansado. Como continuávamos caminhando na mesma direção, ele puxou papo falamos sobre a cidade, de onde ele era, sobre um pouco a vida. Nada pessoal, mas o suficiente para começar e continuar uma conversa. Falei pra ele que estava procurando emprego e que não sabia o que queria fazer. Ele simplesmente me disse pra seguir a minha paixão, que assim eu encontraria não somente o meu caminho, mas também faria um bem para o mundo. Achei bonito o que ele me falou e me deixou pensativa por muito tempo. Se fosse num outro dia, eu nem teria parado para falar com …

O mundo segundo os brasileiros - San Francisco

Image
Em uma tarde de domingo preguiçosa, estou eu divagando pelo google quando me deparo com um programa que acho que já passou há algum tempo na Bandeirantes chamado "O mundo segundo os brasileiros". Encontrei vários vídeos na íntegra no youtube e claro que o primeiro que fui assistir foi o episódio de San Francisco.
No modo geral, eu gostei do programa, mas achei que eles abordaram demais apenas um aspecto da cidade. A maioria dos lugares por onde os brasileiros mostraram, eu fui só de passagem ao longo destes 5 anos de Califórnia. Mas como em qualquer outro lugar do planeta, San Francisco tem de tudo e cada um procura e acha o que lhe agrada, certo? Foi bem interessante e a cada paisagem, eu só pensava : "Meu Deus, eu já caminhei por estas ruas, conheço estes lugares!". Se você não teve oportunidade de assistir, vale a pena!



Longe dos olhos, mas perto do coração

Existem incontáveis coisas boas de morar fora do país, e sou eternamente grata a Deus pela oportunidade de conhecer lugares, culturas e línguas diferentes.
Apesar de parecer bastante glamuroso, a vida aqui não é muito diferente da vida que as pessoas levam em qualquer outro lugar do mundo.
A parte complicada, difícil é quando o coração está lá no Brasil enquanto você está fisicamente longe de tudo e de todas as pessoas que você ama, principalmente quando algo extraordinário acontece na vida destas pessoa.
Hoje pela manhã, assim que acordei fui bisbilhotar o que estava acontecendo no Facebook e qual foi a minha alegria, quando em alguns cliques vi a foto da recém-nascida do meu melhor amigo. Meu coração se encheu de alegria e emoção, meus olhos de lágrima e eu só tinha a vontade de ligar pra ele pra dizer o quanto eu estava feliz por aquele milagre acontecer na vida dele.
Naquele momento eu queria uma máquina de me teletransportar para estar ali, dividir lágrimas e sorrisos e abraços m…

Caçando emprego...

Nunca imaginei que procurar emprego aqui fosse algo tão desgastante e tão demorado. Sério.
Na minha cabeça era só tirar o currículo do HD de backup, traduzir para o inglês, enviar pra tudo quanto é canto e esperar o telefone tocar. Mas não é bem assim.
Em primeiro lugar eu tenho que escolher um dos modelos de currículo... se é o cronológico listando as minhas experiências profissionais, o funcional que dá ênfase às minhas qualidades como profissional que podem ser usadas em qualquer emprego ou o modelo misto. Cada um é indicado para o tipo de carreira que você quer seguir e se você tem experiência em uma determinada profissião ou está pensando em mudar de ramo.
Fiquei vários dias pensando e repensando o que fazer, até que decidi pelo funcional - já que queria dar mais ênfase as minhas qualidades e habilidades profissionais do que no tempo em que trabalhei já que há o "buraco" do tempo em que me mudei pra cá e fui estudante em tempo integral. Estava toda satisfeita com o resu…

A volta da Paulistana ao lar...

Graças a Deus mantive um diário de viagem para registrar aos poucos (no pouco tempo que tive) as impressões que tive durante a viagem, porque senão agora, depois de um mês do retorno, já não seria a mesma coisa... senta que lá vem história...

A viagem de avião foi tranquila. Daqui até Dallas e de Dallas até São Paulo. Estava tranquila até o comandante do vôo pra São Paulo começou a dar informações sobre o vôo e a nossa previsão de chegada no Brasil. Acho que ali, naquele momento caiu a minha ficha e eu comecei a chorar de soluçar. A espera tinha terminado e eu estava indo pra São Paulo! Claro que durante todo o trajeto dormi apenas umas 2 horas. Não consigo entender como o meu marido vira e dorme como um bebê enquanto eu assisto filmes, leio livro, ouço música. Acho que o coração estava muito turbulento, por isto não consigo pegar no sono.

O coração bateu mais forte de verdade quando abri um pouco a janela para ver o céu e vi aquele amanhecer maravilhoso, já no território brasileiro. …

Change Brazil!!! - Muda Brasil!

Tenho acompanhado os protestos que estão acontecendo pelo Brasil desde a semana passada e tenho que confessar que há um grande sentimento de esperança.
Esperança de que o nosso povo deixe de uma vez por todas de ser passivo e começar a fazer a sua voz ouvida, não somente através de gritos, frases, fotos e caminhadas, mas principalmente através de um voto consciente.
Uma coisa que acho extremamente absurda é ter que procurar notícias sobre o que está acontecendo em sites de redes sociais porque os "veículos de comunicação" brasileiros simplesmente não mencionam nada sobre o que está acontecendo ou diz que os protestantes são vândalos estão destruindo patrimônio público.
Outra decepção foi ouvir a asneira que o até então respeitado jornalista Arnaldo Jabor falou sobre os protestos em São Paulo. Pra mim, naquele dia, ele perdeu todo o respeito que tinha por ele. Prova de que nós precisamos receber informação e processá-la criticamente e não apenas absorver tudo porque uma pesso…

Voltei!

Graças ao jetlag estou acordada desde as 4 horas da manhã. A viagem ao Brasil foi maravilhosa, foi tão bom estar ao redor da minha família querida e principalmente da minha mãezinha e ver os olhos dela brilharem quando via a minha cara amassada, cabelo arrepiado e olhos remelados logo de manhã. E por isto só já valeu a pena ter retornado a São Paulo. Apesar dos perrengues. Apesar do trânsito. Meu Deus do céu, eu achava que o trânsito daquela cidade não poderia piorar, mas São Paulo me provou o contrário!
Consegui visitar os meus lugares favoritos na cidade e mostrar um pouco da minha vida para o meu marido. Agora acho que ele entende o porque a minha mãe fica tão maravilhada quando vem para os EUA. O contraste dos dois lugares é enorme em relação a tudo.
Encontrei várias pessoas e ouvi muitas histórias, dei risada e relembrei o passado. Foi ótimo me sentir parte de um grupo novamente. De estar ao lado de pessoas que me conhecem, sabem o meu passado, sabem quem eu sou e não se importam…

Paulistana rumo a Sampa

Image
Daqui a alguns dias a tão, mas tão esperada viagem ao Brasil vai finalmente acontecer.
Quase tudo pronto por aqui, agora só aguardar o dia do embarque e pedir pra Deus pra eu não ter nenhum piriri no meio do caminho porque esta semana já tive insônia, pesadelo, desarranjo intestinal, vontade incontrolável de comer chocolate e choro interminável por conta da viagem. Os nervos e as emoções estão a flor da pele... acho que são sintomas de saudades guardada por 6 anos!
Mas em junho eu volto contando o que aconteceu na nossa amada terra.

Um abraço e até lá!


Brazilian Gringo Style!

Image
Hoje de manhã acordei e vi este vídeo que uma querida amiga, também casada com um britânico, tinha postado no Facebook.
E já acordei o marido às gargalhadas, quando ele viu o vídeo entendeu o porque.


San Francisco - A cidade naturalmente ar-condicionada.

Image
Eu amo San Francisco.
Além de sua peculiaridade na arquitetura, nos pontos turísticos, em sua beleza e na variedade de tipos de pessoas que a gente encontra por lá, eu gosto do clima da cidade.
Como havia comentado neste post , San Francisco tem sempre a temperatura mais amena do que a cidade onde moro, já houveram dias em que a diferença era de cerca de 15C!
Então quando o moço da previsão do tempo disse que a temperatura no Vale do Silício seria cerca de 32C, eu decidi pegar a minha amiga que estava de folga na segunda e fomos para a cidade ar-condicionada mais fofa do mundo!!!
Por incrível que pareça, por lá também estava quente, mas por volta de uns 25C, o que fica bem gostoso com a brisa fria ou um lugar a sombra. Apesar de ser dia de semana havia muita gente na praia e também no Golden Gate Park, um lugar que apesar de estar disponível para visita gratuitamente, estou começando a explorar agora e já encontrei o meu lugar favorito no parque: o jardim em frente ao Conservatory of …

O segredo da felicidade

Por muito tempo eu corri atrás da felicidade. Achei que precisava ter coisas e pessoas em minha vida e aí seria feliz. Depois me disseram que felicidade não existe e que temos momentos felizes ao longo da vida.
Porém, conheci pessoas que eram felizes mesmo diante de circunstâncias que não eram tão boas e fiquei intrigada para saber qual era o segredo.
E busquei, busquei, busquei até que encontrei. Parecia simples demais para ser verdade, mas era. Era não, é simples porque eu posso dizer que sou feliz.
Tenho problemas? Sim!
Tenho momentos de tristeza? Sim!
Fico mal-humorada? Com certeza!
Tenho acessos de raiva e perco a razão? Mais vezes do que eu quero admitir...
Mas mesmo assim, posso dizer que sou feliz.
O segredo? Posso resumir em 2 coisas:

1 - Seja realmente grato pelo o que tem. De verdade. Todos os dias. E não se preocupe com as coisas que você quer e não tem ainda.
2 - Tudo é temporário. O dinheiro, a alegria, a tristeza, os momentos, as lembranças. Aprenda a aproveitar o momen…

Que São Paulo é esta?

Image
Alguém pode achar bem patético ou até mesmo deprimente que uma pessoa que morou desde o nascimento até os 25 anos de idade em São Paulo precise ficar pesquisando na internet sobre a cidade, pontos turísticos, restaurantes, coisas interessantes e afins.
E no meio desta minha pesquisa encontrei muitos blogs legais que falam de uma São Paulo glamurosa, cheias de bares, luzes, restaurantes maravilhosos, museus incríveis, badalação e gente jovem-bonita-inteligente. E aí eu páro e penso. Onde estava esta São Paulo quando eu morava por lá? Por que eu nunca conheci estes lugares, tive estas experiências incríveis a ponto de me apaixonar pela cidade de uma forma tão arrebatadora, a ponto de dizer que não há nenhum outro lugar do mundo onde gostaria de morar?
Depois de pensar um pouco, percebi que esta cidade sempre esteve por lá, mas nunca esteve ao meu alcance. Isto porque enquanto eu morava em São Paulo, tinha que gastar as minhas energias e tempo tentando sobreviver naquela grande selva de …

Finalmente primavera...

Image
Não posso dizer que a primavera é a estação do ano favorita porque cada estação traz a sua própria beleza, mas acho que esta é a estação que me deixa mais contemplativa e feliz.
Aqui na Califórnia o inverno nem é tão rigoroso comparado com as outras partes do país, mas assim como nos outros lugares, acontece uma mudanças bem visíveis na vegetação além do vento gelado e temperaturas mais baixas.
As árvores perdem suas folhas e ficam parecendo mortas. Não há flores, mal vemos passarinhos por aí... a única coisa que parece viva é a grama verdinha, verdinha nos morros ao redor devido a chuva, pois assim que começa a esquentar estes morros ficam com grama seca, o que dá aquela impressão de morros dourados - e também os perigos de queimadas que acontecem todos os anos...
Enfim... na primavera a vida parece ressurgir do nada, flores brotando, folhas novas nascendo, um solzinho pra esquentar e deixar pessoas mais felizes.
Lembram que tinha escrito há alguns meses o post sobre o meu jardim? Po…

Quando a tão esperada férias vira dor de cabeça...

Preciso muito ouvir conselhos de pessoas que moraram no exterior e que voltaram de férias ao Brasil. Principalmente quando retornaram a primeira vez e já explico o motivo...

Como mencionei num post anterior devido a motivos burocráticos com visto não pude ir ao Brasil desde que cheguei aqui. Nisto se passaram 6 longos anos... queria ter pego o avião no dia seguinte do recebimento do meu green card, mas precisamos fazer um longo planejamento para a tão esperada férias.
Na minha inocência e no auge da minha alegria enviei email para os amigos mais próximos e as pessoas que acompanharam ao longo dos anos a minha saga, dizendo quando estaria em São Paulo. E aí os problemas (mesmo que no bom sentido) começaram. Não terei disponibilidade para passar um tempo de qualidade com todas as pessoas que querem me ver. Muitos com grande carinho convidaram para jantar, passar um dia na casa, mas será praticamente impossível por conta dos dias limitados e dos programas que já tinha feito com a minha f…

Searching for Sugar Man

Image
Foi numa conversa na aula de espanhol após a cerimônia do Oscar que ouvi o nome deste filme pela primeira vez. A minha professora disse que o filme havia ganho o prêmio de melhor documentário e que tinha sido filmado quase que em totalidade com um iphone. A história parecia interessante.
Um cantor de Detroit que simplesmente nunca foi conhecido ou reconhecido nos EUA foi um grande sucesso, maior mesmo que Elvis Presley e Rolling Stones, na África do Sul. Dizem que ele fez a cabeça da geração rebelde que lutava contra o Apartheid no país. Era um ídolo mas pouco se sabia sobre o mesmo. Infelizmente as notícias que chegaram era que ele havia se suicidado. E o mito continuou e cresceu. E ele vendeu milhões de discos e depois CDs para gerações de sul-africanos. Até que um dia alguém resolveu buscar a verdade. Tentar encontrar este tal de Rodriguez e saber o que realmente causou a sua morte.
O documentário é cheio de entrevistas e recheado com as músicas tristes e fortes do cantor. E no mei…

A Califórnia em que eu vivo...

Como havia comentado em algum post anterior eu meio que vim parar na Califórnia sem querer.
Na verdade tudo o que eu sabia da Califórnia eram as informações dos filmes e seriados americanos, que mostram aquela vida luxuosa de Beverly Hills e a vida descontraída dos surfistas e gente que adora morar a beira da praia.
O que ninguém me contou é que esta é a realidade de algumas pessoas sim, mas não da maioria dos californianos, principalmente daqueles que moram pelas bandas de cá, na região de San Francisco. A Califórnia é giiigante e com tantos climas, culturas, pessoas e costumes que sinto até injusta a minha tentativa de tentar explicar pra alguém como é a vida aqui. Porque sim, a Califórnia pode ser boa ou ruim, depende da pessoa que você perguntar, por isto a  singela visão sobre a Califórnia que eu conheço, levando em consideração a minha experiência, o que vi, vivi e ouvi por aqui. As diferenças são muitas, mesmo levando em consideração de cidade pra cidade. Mas algumas caracterís…

Vale a pena cuidar do seu jardim...

Não, o meu post hoje não é sobre jardinagem. Apesar que foi um momento enquanto eu cuidava do meu jardim que me veio a inspiração para escrever esta mensagem. Porque o meu jardim tem me ensinado pequenas e preciosas lições sobre a vida.

Quando mudei-me para a minha atual casa não havia flores bonitas e bem cuidadas nos canteiros, apenas umas flores amarelas emaranhadas que mais pareciam ervas daninhas. Mas não eram. Elas só precisavam ser podadas e regadas para crescer e florescer ainda mais.
É muito fácil reclamar que a  vida está vazia, sem beleza e sem alegria. Mas assim como flores não nascem se não forem plantadas, não veremos resultados positivos na nossa vida se não tomarmos em primeiro lugar a decisão de cuidar da nossa vida e fazer o que for preciso para alcançarmos as nossas metas. Assim como aquelas pequenas flores que pareciam apenas ervas daninhas, o que pode estar faltando não somente na vida, como nos relacionamentos é apenas a sua atenção.

Para plantar novas flores foi p…