Posts

Showing posts from March, 2014

Uma volta em SF Market Street em 1906...

Image
Eu amo San Francisco. Amo. Amo. Amo. Amo.
San Francisco faz parte da minha história de vida, de amor, de sonhos.
Uma querida amiga achou este vídeo M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O que mostra o trecho da avenida principal da cidade  - Market Street até o Ferry Building.
Claro que foi feito um trabalho de digitalização para incluir o vídeo, mas viajei no tempo e constatei que que o tempo pode passar mas os Californianos sempre foram ruins no trânsito e os pedestres sempre tiveram o hábito de atravessar a rua do jeito que for mais conveniente. Coloquei também um vídeo feito em 2005 do mesmo trajeto, as diferenças são gritantes!
Espero que gostem, assim como eu amei!!


San Francisco - Market Street 1906

 San Francisco - Market Street 2005 (quase mesma hoje)

Então é oficialmente primavera...

Descobri o verdadeiro sentido da primavera e do milagre da vida quando mudei-me para os Estados Unidos em 2007. Cheguei no meio do inverno em New Jersey, tudo o que eu via era neve e neve e neve e mais neve. As árvores pareciam mortas, não haviam nenhum sinal de vida em nenhum lugar. E aí de repente, quando eu menos percebi o gelo começou a derreter, a temperatura esquentar e as árvores que pareciam mortas começaram a mostrar sinais de vida, folhas verdinhas, os famosos cherry blossoms, pássaros, animaizinhos, as pessoas pareciam estar mais felizes... era o ciclo da vida se renovando e mostrando que sim, mesmo depois de longos meses de escuridão e frio, há dias melhores pela frente...
Na Califórnia estamos em clima de primavera, bem, desde janeiro. Foi o inverno mais bizarro que passei por aqui, já que as temperaturas não baixaram muito e não recebemos chuvas, por isto estamos passando por período de estiagem assim como nossos companheiros do Sul/Sudeste do Brasil. As flores que dever…

Inspiração para momentos difíceis...

Ontem foi um dia difícil. Mas quem é que não tem dias difíceis?
Cada um de nós enfrenta batalhas diárias dos mais diversos tipos e tamanhos.
A minha batalha pode ser a dor, a sua o desânimo. A do meu vizinho luto, a do meu conhecido dívidas.
A dor, a tristeza, a angústia, a preocupação são sentimentos tão individuais que mesmo compartilhados com aqueles que amamos às vezes não podem ser expressados com exatidão o quanto nos afetam.
E o que fazer nestes momentos em que as batalhas parecem maiores do que nós? Podemos nos afundar na nossa própria dor e ali ficarmos, tristes, amuados e impotentes. Muitas vezes até nos afastando das pessoas que nos amam e que querem ajudar.
A outra opção é lutar, é encontrar um raio de luz, é olhar além da nossa dor e ajudar de alguma forma aqueles que estão sofrendo. É difícil, muito difícil, mas quando ajudamos outros com suas dores, Deus parece cuidar melhor da nossa e quando menos percebemos, foi embora, ou pelo menos aquele estado de desespero se foi.

Aumento de crime na Bay Area...

Eu sou de São Paulo. Da periferia da zona sul da cidade.
Violência é algo que fazia parte do meu dia-a-dia, no sentido de estar sempre alerta quando estava na rua. Lembro que a minha mãe me obrigava a andar com "dinheiro pro ladrão" dentro da carteira (um dinheiro que ficava reserva e que eu entregasse caso fosse assaltada) porque assim ele não ficaria com raiva e fizesse "uma maldade" comigo.
E eu saí de São Paulo, mas São Paulo não saiu de mim. Mesmo morando num lugar muito mais seguro, onde a maioria das pessoas andam por aí despreocupadas com seus pertences pessoais sejam celulares de última geração, jóias, relógios, carros caros. Todos se sentem seguros e os americanos, em sua maioria vivem na bolha da segurança e da crença de que "aqui é um lugar seguro/ isto nunca vai acontecer comigo."
Infeizmente tenho percebido através do noticiário que os "crimes de oportunidade" estão aumentando por aqui. Lógico que não se compara com a proporção de …