Rir é o melhor remédio!

Esta semana um casal de amigos muito querido vieram jantar comigo e me fazer companhia enquanto o meu marido estava num jantar de trabalho.
Enquanto jantávamos, contei pra eles sobre as duas senhoras idosas que haviam sido esquecidas no aeroporto (história aqui) e então meu amigo entendeu a história errada, achando que o aeroporto tinha sido fechado e elas tinham ficado lá pra sempre e começou a imitar o que seria a conversa das velhinhas. Só sei que a gente riu, riu, riu tanto que a barriga doeu e as lágrimas sairam do rosto.
Foi um momento tão bobo, tão "comum", mas sentada àquela mesa me dei conta que eu não ria daquele jeito há muito tempo... e isto me deixou com uma mistura de sentimento de muita gratidão por ainda ter estes momentos com amigos e tristeza porque a vida só vale a pena se for aproveitada.
Sei que ando vivendo muitos momentos de preocupação e apreensão por causa da minha condição de saúde, mas quero ser a pessoa que sempre fui, otimista e tentar enxergar a vida de uma forma mais leve. Acho que a parte mais difícil de enfrentar uma doença crônica é que as relações com as pessoas mudam, os assuntos ficam mais sérios e sombrios. Muitos "amigos" somem do mapa ou aparecem uma vez por mês por email só pra checar se você ainda está viva. O melhor remédio que alguém pode receber numa situação destas é conversa fiada, piada, contos e preocupações corriqueiras da vida. A vida não pára. E a pessoa apesar de estar passando por uma dificuldade com a saúde, continua a mesma. É muito bom esquecer de doença, remédio, prognóstico, limitações e simplesmente rir.
Por isto, see hoje você tiver a oportunidade, faça alguém sorrir. Encaminhe aquela piada, ligue, faça uma visita. Traga um raio de luz e esperança. Você pode transformar o dia de alguém com um simples gesto e aposto que você se sentirá bem também :-)

Comments

  1. Eu adoro rir de coisas bobas, hoje por exemplo ri horrores com uma piadinha que uma amiga me mandou por mensagem de celular: Você sabe o nome do cara que dá oi para todo mundo??????? Raimundo! hahahahahahaha
    eu ri muito sozinha na fila do banco, de certo me acharam uma louca, mas tô nem ai!
    Rir faz bem para a pele sabia???
    Não sei o que se passa com sua saúde, mas rir também é um santo remédio para qualquer problema. Felicidade libera um monte de coisas boas para as células!!!!
    Bjos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Pat, eu ri muito com a piada hahahahaha, muito obrigada por dividir comigo! No momento estou fazendo tratamento de Lupus e também batalhando para recuperar as funções dos rins que foram afetados pela doença.

      Delete
  2. Eliana, rir de chorar e da barriga doer é a melhor coisa! Rir tanto que vc chega a ficar fraca! Que bom que vc tem gente leve assim ao seu redor que te faça rir e espero que mais pessoas apareçam no seu caminho, e q vc ainda possa rir muito! Eu não sou uma pessoa engraçada rsrsr sou péssima, daquelas que quando vai contar uma piada rir antes de terminar e no fim ngm entende nada. Não sei ser engraçada rsrsr sabe um comentário ou outro meu faz alguém rir, mas eu tento rsrsrs Bjsss

    ReplyDelete
    Replies
    1. Eu também sou pééééééssima pra contar piada, por isto nem me atrevo. Mas olha, eu sou daquele tipo que dá risada escandalosa e continua repetindo e rindo de uma boa piada por muito tempo. Foi um santo remédio!

      Delete
  3. Engraçado, eu tinha comentado aqui... mas enfim....acho que disse que eu lembro da última vez que eu ri assim como vc descreveu e acho que isso deveria ser uma constante em nossas vidas. São momentos assim que valem a pena guardar.

    Kisu!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Deveríamos rir muito mais, assim como as crianças. Porque é que a gente cresce e esquece de aproveitar as coisas boas da vida mesmo que sejam tão simples como dar uma boa gargalhada?

      Delete

Post a Comment

Deixe seu comentário, dúvidas, sugestões ou perguntas para a Paulistana na Califórnia!
Seu comentário será lido e respondido assim que possível!
Obrigada!!

Popular posts from this blog

É legal viver ilegal nos EUA?

...

O dia que a professora de espanhol quase enfartou em classe