A volta dos que não foram

Eu amo olhar fotos. De vez em quando pego as minha fotos antigas e começo a rever lugares e pessoas e lembro com muito carinho das histórias que ficaram registradas naquele pequeno retângulo armazenado no computador ou dentro de álbuns.

Ao olhar para certos rostos, lembro de seus nomes e fico me perguntando onde é que foram parar... infelizmente acabamos perdendo contato com muitas pessoas durante a nossa jornada e demorou muito para que eu parasse de me sentir culpada por não manter contato com todas as pessoas que conheci e que foram muito especiais na minha vida.

Acredito que as pessoas passam pela nosas vida e permanecem o tempo necessário para nos ensinar alguma coisa, nos ajudar de alguma forma. Algumas carregaremos para sempre em nossas memórias e corações com muito carinho e outras ficaram lembradas por causa das cicatrizes que deixaram na nossa alma e no nosso coração.

Tenho a alegria de dizer que tenho pouquíssimos (e parecem diminuir com os anos, será que estou ficando muito exigente?) amigos, mas aqueles que permaneceram na minha vida são preciosíssimos. E estiveram presentes em minha vida nos momentos bons, nos momentos ruins... ficaram um tempo distantes, mas nunca distante o suficiente que não pudessem ser alcançados com um oi virtual, já que moro há milhares de quilômetros de distância da maioria deles.

Às vezes aperta o coração quando você reencontra uma pessoa muito querida que você considerava um grande amigo e hoje é apenas um conhecido com quem você troca apenas conversas informais e superficiais. Engraçado pensar que aquela pessoa por um determinado tempo da sua vida sabia todos os seus segredos, era a primeira pessoa para quem você ligava correndo para contar a última novidade da sua vida e hoje em dia a conversa não passa do "E as novis?".

Mas nem tudo é saudosismo bom, é ótimo deixar algumas pessoas no passado e você torce para que nunca mais encontre na sua vida...

As chances de reencontrar as pessoas hoje em dia aumentaram muito graças ao Facebook. E passei por uma experiência interessante nos últimos dias que me fez pensar muito sobre reencontros de pessoas.

A minha "melhor amiga" da época do ginásio, por quem eu tenho um carinho enoorme mas que perdi contato por uns 15 anos porque ela se mudou para o interior do Piauí voltou a trocar emails comigo e depois descobrimos que poderíamos nos comunicar por Whatsapp também. Foi uma alegria enorme poder reencontrá-la e depois de 15 minutos contando o que tinha acontecido em nossas vidas o papo simplesmente morreu. Morreu porque não temos mais nada em comum a não ser as memórias de quando éramos crianças e estudávamos juntas. Não me sinto à vontade de dividir com ela os meus atuais problemas e inquietações e falar sem parar sobre as minhas alegrias e conquistas também. Coisa mais estranha do mundo!

Porém percebi da parte dela que nós voltamos a ser melhores amigas novamente e ela me manda mensagens dizendo o quanto a minha amizade é importante pra ela, o quanto eu sou querida e o quanto os meus conselhos a ajudaram e tal, e eu fico tão mais tão sem graça porque eu não consigo dizer que nós "voltamos a ser amigas" da mesma forma que éramos quando tínhamos 12 anos de idade. Mas continuo lá, dando suporte pra ela quando ela precisa e trocando palavras boas e de incentivo quando necessário...

Esta semana ela disse que o pessoal da nossa antigo ginásio (sou da época do ginásio tá, o atual ensino fundamental) está tentando se reencontrar e até criaram um grupo no Facebook colocando fotos antigas e ela ficou me chanteageando/implorando para que retornasse ao Facebook para participar do grande grupo de "amigos". Confesso que fiquei super curiosa para ver as tais das fotos, e saber se estou por lá, mas tudo o que sinto em relação aquele grupo de pessoas é apenas isto: curiosidade para saber o que aconteceu com eles. Sei que depois das mensagens calorosas e comentários com causos eles se tornarão apenas mais um contato de email, ou de Facebook no caso. 

As pessoas do passado que devem estar em nossa vida, pernameceram de alguma forma e sinceramente não tenho vontade de participar ou rever aquelas pessoas, mesmo porque a maioria delas na época em que estudávamos juntos nem gostavam/ falavam mal de mim.

No fundo fiquei pensando porque uma delas (que tinha o meu email até o ano passado, mas de alguma forma "perdeu" o endereço) resolveu procurar estas pessoas e tentar fazer uma reunião. Ás vezes quando eu olho para as fotos antiga, dá uma vontade de reviver aqueles momentos e rever aquelas pessoas por causa das coisas que dividimos e que guardo com muito carinho. Talvez esta sessão nostalgia seja uma tentativa de resgatar um passado adocicado e cheio de glamor, mas que não irá retornar porque aquelas pessoas simplesmente não existem mais. A vida os transformou em outras pessoas, adultos com suas experiências de vida diferentes que nada tem a ver com aquilo que se vê naquelas fotografias antigas.

Talvez no meio destes reencontros antigas amizades se reestabeleçam, mas não dá para acreditar que só porque se era amigos há 20 anos atrás que após um breve reencontro as coisas serão como antigamente. É preciso reconstruir as amizades, passar tempo juntos, reconquistar a confiança e percebo que a maioria destes reencontros só quer satisfazer mesmo a curiosidade pra saber o que você está fazendo da vida, se casou, se tem filhos e claro, se engordou! :-)

E você já passou por uma experiência de reencontro com alguém do seu passado? Conseguiu reconectar a amizade?

Comments