Done!

Quinta-feira passada disse adeus à minha melhor amiga dos últimos 3 meses: a calculadora TI-84. Saí da prova de estatística e andei pelo campus da faculdade pela última vez como estudante.
Ao passar pela biblioteca e pátio central, o sino da faculdade que marca as horas começou a badalar e eu juro que me senti meio Cinderella escapando antes da meia-noite.
Um sonho que foi algo tão distante um dia, se tornou real.
Última sessão de estudo antes da prova de estatística   


Embora muitas pessoas me perguntem o que será daqui para frente eu ainda não estou preocupada com isso. Quero saborear o momento, o agora, a minha conquista.
Por que será nunca estamos contente com o que conseguimos e sempre temos que pensar no próximo passo, na próxima conquista, na próxima vitória?
Vou saborear este finalzinho com muita festa e muito feliz porque apesar deste ano de 2016 ter sido absurdamente maluco, foi um ano de grandes realizações pessoais.

Sei como você se sente Adele...

Quase lá...

Eu deveria estar estudando para minhas provas finais, mas ao invés disto estou aqui procrastinando escrevendo no blog.
Esta é a minha última semana na faculdade. Duas provas, um trabalho e pronto. ACABEI!!!
Foram longos 5 anos que deveriam ter sido 2 anos e 3 meses, mas hey, a vida nos últimos 3 anos me deu várias surpresas (agradáveis e nem tanto) e por isso agora estou finalmente me graduando.
Já ouvi várias pessoas tentando diminuir a minha auto-estima, já que para os americanos estou apenas na metade do caminho (sei que estou devendo escrever sobre o sistema de ensino americano, e vou fazê-lo assim que me livrar dele), pois ao contrário do nosso sistema onde você sai do ensino fundamental e vai direto pra faculdade da carreira que você escolheu, aqui os 2 primeiros anos todos estudam conhecimento gerais de certas áreas e somente depois você estuda matérias específicas para a sua carreira. Você pode tanto entrar direto para a faculdade de 4 anos e fazer tudo lá, ou para economicar (muito dinheiro) você vai para uma Community College e estuda os 2 primeiros anos lá e depois transfere para uma Universidade para terminar o seu curso de Bacharelado.
Dependendo do que você você estudar nestes 2 anos, você tem um certificado específico e já pode procurar emprego, mas entrará nas posições mais baixas da carreira - por exemplo trabalhar com contabilidade fará o trabalho mais maçante.
Enfim, voltado ao assunto, muitos dos meus colegas tentam diminuir o meu feito porque quase todos estão transferindo para uma Universidade e eu fico por aqui. Este ano foi uma loucura e já decidi que quando retornar para um banco de faculdade aqui, vou fazer um mestrado, já que o meu diploma do Brasil é válido aqui, eu só preciso fazer o processo de "validação".
Sinto-me muito orgulhosa porque estou me formando numa faculdade onde as matérias ensinadas são minha segunda língua. E só Deus sabe os obstáculos que tive que vencer para estar aqui.
Meu marido está super orgulhoso e por causa dele (e por minha mãe também) é que irei participar da cerimônia de graduação que acontecerá somente no final de junho, pois é quando termina o ciclo escolar oficialmente na faculdade.
Até lá eu vou descansar, viajar, organizar a minha vida e tirar vários projetos do papel e enfrentar novamente a selva que é o mercado de trabalho daqui.
Mas sem terminar as provas com sucesso desta semana isso não acontecerá então, deixa eu enfiar a cara nos livros por mais que eu não aguento mais olhar.
E você pode ter certeza de que vou tocar esta música bem alto saindo do estacionamento da faculdade!

Alice Cooper - School's out


O maior feito da minha vida

A minha professora de estatística teve uma ideia genial para a lista de chamada que assinamos todos os dias. Ao lado do nosso nome ela escreve uma pergunta do dia que varia todos os dias. Geralmente eu respondo - é facultativo fazê-lo - e confesso que às vezes acabo me distraindo lendo as respostas dos colegas dependendo da pergunta. Hoje foi o dia que mais me distrai, confesso.
Ela perguntou qual foi o seu maior feito na vida até o momento. Li diversas respostas e confesso que fiquei sem saber o que escrever já que poderia ter colocado várias respostas. Escrevi que foi ter viajado para vários lugares do mundo, mas não creio que este foi o maior depois de pensar um pouco sobre o assunto.
O que mais me chamou a atenção em relação às respostas dos meus colegas é que haviam coisas extraordinárias como também coisas bem simples. Esse tipo de pergunta invoca respostas bem diferentes e que nenhuma delas deve ser considerada melhor ou pior porque muitas vezes pequenas coisas que não damos muita importância são feitos extraordinário mesmo que não apareçam na televisão ou você ganhe um prêmio por isso.
Pois bem, já devo ter falado sobre isso mais de uma vez aqui mas acredito que o maior feito da minha vida foi simplesmente acreditar no meu sonho e trabalhar par torná-lo realidade.
Não foi uma única coisa mas diversos fatores que me ajudaram a realizar o feito que foi sair literalmente do conforto do meu lar e morar em outro lugar.
Primeiro eu tive que acreditar no impossível porque na época que eu decidi mudar de país eu era estagiária e universitária então a grana era muito curta e vindo de uma família humilde se eu quisesse realizar este sonho eu teria que lutar e bancar sozinha por ele. Fiz muitos sacrifícios para economizar o dinheiro e quando sai do Brasil tinha exatamente 200 dólares na minha mão.
Segundo eu me dediquei para conseguir tudo o que eu precisava para viajar. Pesquisei opções, procurei informação e fui sincera comigo quanto às minhas possibilidades. Nunca dei passos maiores que as minhas pernas e todos os passos foram calculados e estava meio que preparada para os riscos de cada opção.
Terceiro dividi meus sonhos apenas com pessoas que me apoiavam e acreditavam em mim. Para se ter uma ideia minhas irmãs só souberam que estava indo para os EUA quando o meu visto estava em mãos, depois de quase 1 ano e meio de preparação e planejamento. Lembra do primeiro passo? A situação já era difícil então pra que ter pessoas ao meu redor colocando dúvidas, zombando dos meus objetivos só porque era diferente dos delas?
E por último acredito que seja essencial ter coragem e ser autossuficiente porque muitas vezes você só terá você mesmo para solucionar problemas e enfrentar adversidades.
Depois que você conseguir conquistar o seu "maior feito" não pare de sonhar e não viva somente de memórias. Cada fase da nossa vida há um novo objetivo, sonho a ser conquistado e o mais importante é saborear cada pequena conquista e todas as etapas da jornada porque mesmo que ela seja difícil terá algo a ensinar e trará algo que você irá precisar no futuro ou te fará uma pessoa melhor.

Meu gato que não é meu

Sou o que eles chama aqui de "dog person". Eu AMOOO cachorros, desde que eu me entendo por gente meus pais tiveram cachorros em casa. Tínhamos 4 cadelas que não eram castradas, então já viu... vira e mexe aparecia uma barriguda e era a maior festa quando os filhotes nasciam e até a gente distribuir, era aquela festa de filhote + criança que a minha mãe tanto odiava - bagunça e trabalho em dobro hehehe. Lembro que era a maior choradeira quando alguém iria buscar os filhotinhos, lembro do nome de todos os cachorros que tivemos e quando vou na casa da minha mãe tenho o maior xodó pelos cachorros dela.
Por ser rodeada de cachorros, nunca fui chegada em gatos. Não tenho nada contra eles, mas sou uma pessoa carente e não iria conseguir ter um animal de estimação que não dá a mínima pra mim e só me usa para ganhar comida e um lugar pra viver.
Tenho uma amiga que tem os gatos mais fofos do planeta e a gente se deu muito bem, porque eles parecem mais cachorros do que gatos, no comportamento claro, já que eles ficam em busca de atenção e carinho o tempo inteiro. A minha amiga me ensinou muitas coisas sobre comportamento de gatos, o que está me ajudando e muito agora...
Veja bem, eu tenho um gato, mas o gato não é meu...
Em mais ou menos abril deste ano percebemos que tinha um gato preto pequeno no meu quintal. Nós já tinhamos nos acostumados com um gato cinza sem rabo que anda pela vizinhança, bem mal encarado. Mas nunca tínhamos visto este gato preto antes e achamos estranho...
Um belo dia fui caminhar pela manhã e vi vários cartazes de animal perdido e eu sempre leio porque sei a dor que é perder um bichinho de estimação. Não é que alguém estava procurando um gatinho preto?
Anotei o telefone e liguei mais tarde pra pessoa, dizendo que tinha um gatinho que combinava com a descrição no quintal da minha casa. O cara disse que depois iria buscar pela região - detalhe, ele disse que mora num complexo de apartamento que fica literalmente 1 quadra da minha casa. Ok.
O gato aparecia sempre de manhã, eu liguei pro cara 2 vezes pra ele fazer um flagrante e nada dele aparecer. Até que um sábado o meu marido tirou uma foto com o celuluar do gato, mandou pro cara e ele confirmou que era realmente o gatinho dele e que dali a dois dias ele iria dar uma olhada na região pra ver se encontrava.
Olha, eu fiquei bem brava porque quem é que coloca um cartaz pedindo pra achar um bichinho e quando você manda informações de onde o gato está a pessoa não vai procurar? Ele oferecia 50 dólares de recompensa e sinceramente eu não queria o dinheiro, só que ele pegasse o bichinho e levasse pra casa.
Pois bem, ele nunca apareceu e eu morrendo de dó comecei a jogar pão de forma pro gatinho comer. A princípio estava bem arisco, mas acho que estava com tanta fome que começou a esperar perto da porta por alguma comida.
Foi então que contra a vontade do meu marido - que é super alérgico a gatos - eu fui até uma pet shop e comprei um pouco de ração e um potinho de comida e comecei a alimentar o gatinho...
Desde então vem todos os dias de manhã e de noite pra comer, mas não se aproxima de nós de jeito nenhum. Por mais que não corra mais de medo, só vai comer a comida depois que fechamos a porta da cozinha.
A verdade é que eu pensei em ligar para alguma associação pra vir buscar, mas sei que tem algumas que acabam sacrificando e eu decidi continuar alimentando o bichinho. Só que agora está começando a ficar muito frio à noite e eu estou preocupada com o gatinho novamente. Já fiz uma caminha, mas se recusa a entrar. O meu marido disse pra eu não me preocupar, mas fico morrendo de dó.
De vez em quando sai briga com o gatinho mal encarado, já que os dois querem marcar território, mas a gente torce pelo gatinho, que na verdade é uma gata e se chama Jelly (gelatina) mas a gente acostumou de chamar de Gatinho.
O meu marido também acabou se rendendo e sempre dá comida e fica conversando com o Gatinho, mesmo que ela não dê bola pra gente e só quer saber da comida.
Nem se a gente quisesse poderíamos colocar pra dentro de casa porque não sabemos se carrega alguma doença, pulga e eu com problema no sistema imunológico não sou aconselhada a ficar muito próxima de gatos.
Dá dó. Mas por enquanto vou fazendo a minha parte. De fome eu sei que ela não morre.
Gatinho esperando pelo café da manhã

Precisamos falar de eleições ?

Há uma semana o povo americano (em teoria) escolheu o novo presidente do país. Digo em teoria porque aqui existe um sistema de eleição bem diferente do que nós conhecemos no Brasil.
Pra resumir a história o sistema funciona mais ou menos assim: cada estado americano possui um certo número de delegados no colégio eleitoral que varia de acordo com o número de representantes do Senado e Congresso de cada estado. A Califórnia por exemplo tem 55, Texas 38, Florida 29, e assim sucessivamente. O total de delegados é de 538 e para ser eleito, o presidente precisa de no mínimo 270. O interessante é que o candidato que tem a maioria dos votos na maioria dos estados recebe todos os números de delegados daquele estado. Aqui na Califórnia a Hillary ganhou a maioria dos votos então ela levou os 55 delegados do estado. Por isso,  embora ela tenha ganhado a maioria do voto do povo (em números) ela não foi eleita porque ela perdeu em porcentagem para o Donald em alguns estados chaves que tinha um número grande de delegados em jogo e portanto, mesmo que quase metade da população daqueles estados tenha votado nela, todos os "votos" acabaram indo pra ele.
Número de delegados do colégio eleitoral por estado

Entendeu como funciona? Pois é, é complicado mesmo... Este sistema é muito diferente do que entendemos como democracia já que o voto do povo basicamente não conta individualmente porém ouvi discussões de que o sistema funciona para garantir que os estados com maior população não definisse o resultado final das eleições já que se fosse por maioria dos votos os candidatos iriam se concentrar apenas nos estados mais populosos ignorando os menores, não representando assim o povo americano...
Este é um dos principais motivos pelo qual está acontecendo até agora em alguns lugares no país protesto sobre as eleições, porque a maioria das pessoas no país que votaram (apenas 58.1% da população que poderia exercer este direito o fez)*, não votou no Trump.
Resultado eleições CNN até o momento**

Passei a noite acordada com o meu marido acompanhando os resultados otimistas a princípio e indo de preocupada para incrédula em questão de algumas horas. Na minha casa foi o mesmo sentimento de incredulidade e decepção quando acompanhamos o resultado do Brexit em junho, mas pra falar a verdade, depois que o Reino Unido votou para se separar da União Européia nós sabíamos que o impossível poderia acontecer novamente.
Estávamos acordados quando o Trump deu o discurso de vencedor e preciso confessar que não consegui prestar muita atenção no que ele dizia pois o filho menor dele roubou a cena, tentando ficar acordado enquanto o pai falava quase 3 horas da manhã horário NYC.
No dia seguinte foi difícil acordar com a notícia de que não tinha sido um pesadelo e que a pessoa que durante os últimos 2 anos fez inúmeros discursos cheio de racismo, intolerância e ignorância tinha sido eleito presidente dos EUA. Não queria nem ir pra faculdade tamanho era o meu desânimo, a vida precisava continuar...
Não foi surpresa chegar na faculdade e o clima estar super pesado e todos muito tristes e revoltados. Embora não tenha discutido sobre política nas minhas classes os professores deram palavras de ânimo para todos, mas podia ver que eles também estavam decepcionados.
Alguns amigos preocupados me enviaram mensagens me perguntando o que será daqui pra frente, e esta resposta ninguém sabe responder porque ninguém tem idéia do que o Trump fará durante o seu mandato. O certo é que muitos americanos apesar de dizerem que não são racistas, homofóbicos, intolerantes religiosos e anti-imigrantes, votaram no Trump porque ele trouxe uma mensagem de esperança (????) e mudança para o país.
Enquanto isso mulheres, grupo LGBTQ, muçulmanos, imigrantes indocumentados, negros estão muito preocupados porque algumas idéias lançadas pelo candidato os afetam diretamente.
No momento o que tenho tentando fazer é não me deixar abater e pensar em formas concretas de poder fazer a diferença na comunidade em que vivo e é isso que no geral as pessoas estão sendo chamadas para fazer. Proteger o direito de todos e não se calar diante de atos de intolerância.
Todos agora estão tentando passar um sentimento de que devemos nos unir para construir um futuro melhor para o país, deixar nossas diferenças políticas de lado e caminhar rumo ao futuro, mas é um pouco difícil fechar feridas de tantas pessoas que foram atacadas e insultadas pelo Trump e alguns de seus apoiadores durante os últimos meses.
Acho que esta foto, o primeiro encontro entre o presidente Obama e o presidente eleito Donald Trump resume bem o sentimento por aqui...
Encontro do Obama e Trump na Casa Branca 2 dias após a eleição

Curiosidades:
  • os votos aqui podem ser enviados pelo correio antes da eleição e as pessoas precisam até a urna escrever o voto em um PAPEL. Não é falta de tecnologia não, é que é um mode de evitar fraude já que os votos podem ser contados e recontados e tricontados... 
  • não é preciso mostras documento de identidade para votar (eu também choquei com esta informação!)
  • voto não é obrigatório 
  • a contagem de votos oficial não foi terminada.

Agora, eu peço, por favor Brasil não me decepcione novamente em 2018 e aprendam a lição!



Fontes:
* http://www.electproject.org/2016g
** http://www.cnn.com/election/results/president

O dia que a professora de espanhol quase enfartou em classe

Só percebi hoje que faz um mês que não atualizo o blog. E não é falta de assunto, é aquela velha história falta de tempo mesmo. Depois que voltei do Brasil já engatou-se uma reforma na cozinha da minha casa e o início das aulas e só agora me organizei.
Estes dias na faculdade estava pensando em escrever um pouco mais sobre vida de estudante por aqui, vai que alguém está precisando de um esclarecimento porque te digo que mesmo neste meio há 4 anos, tem muita coisa que não entendo... mas enfim...
Hoje aconteceu o pesadelo de qualquer professor de idiomas na minha sala de espanhol. Existem muitos nativos de espanhol na minha sala (ou eles cresceram falando espanhol em casa mas não aprenderam gramática ou então só querem ganhar crédito fácil do requisito língua estrangeira) e estamos em uma semana de apresentações sobres diversos temas.
Pois bem, hoje o tema era sobre a vida universitária de alguns países latinos. Aí uma menina que fala espanhol porque os pais são mexicanos foi apresentar uma sessão sobre gírias utilizadas no México e no Chile.
Pois bem, acho que ela não passou o material da apresentação para a professora e esta quase teve um enfarto quando a primeira gíria que ela apresentou foi "corno" referindo-se a qualquer homem. A professora deu um pulo da cadeira e disse que ela não podia nem pronunciar a palavra porque aquilo não significava homem e sim "um cara que tem uma mulher que dormiu com outro cara". Eu não conhecia a palavra mas quando a professora deu o significado, eu quase não consegui parar de rir. Maioria da sala ficou confusa e uma parte de pessoas que falam espanhol ficaram em dúvida do motivo do chilique da professora, já que eles também usam a palavra entre amigos e não sabiam que o termo era ofensivo.
Fiquei com dó da professora e da menina que apresentou que é um amor de pessoa e super certinha. Nos encontramos na saída da faculdade e ela me falou que a professora a chamou de canto e disse pra nunca mais aprensetar nada sem passar por ela, e foi uma grande surpresa porque ela disse que todos os outros mexicanos amigos dela se chamam assim.
Então um conselho pra você que está aprendendo idiomas, antes de sair por aí soltando o verbo, melhor verificar o real significado da palavra e saber se é um termo ofensivo para algum grupo ou não.
Mas que foi engraçado, foi...

São Paulo

É só marcar viagem ao Brasil que começo a ter crise existencial.
Semana passada assisti vários vídeos no youtube de estrangeiros que foram visitar São Paulo e contam suas experiências e o quanto a cidade é linda, cheia de cultura, boa comida, com transporte ótimo e com pessoas amigáveis. Uma mulher até disse que não gosta de conversar com brasileiros que tem uma visão negativa da cidade porque tudo lá é lindo e não damos valor.
Respeito a opinião destas pessoas, mas vamos concordar que a experiência de um turista na cidade é bem diferente de alguém que mora lá e tem que acordar cedo pra pegar busão pra ir trabalhar e não tem muito dinheiro pra sair "desfrutando" das belezas e coisas boas da cidade...

*-*- *-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Comecei a escrever este post um tempo atrás e resolvi que estava na hora de sacudir poeira daqui.
Há uma semana retornei de São Paulo, uma viagem rápida só para ver com os meus próprios olhos como estava a saúde da minha mãe e a situação do país. Acho que foi a primeira vez que quando o avião decolou de Cumbica eu chorei de soluçar. Até agora estou tentando entender o que estava sentindo naquele momento, era um misto de alívio e tristeza, revolta e esperança.
Se encontrasse um destes turistas que mencionei aí em cima, juro que dava uma sacudida na pessoa. As coisas por lá, como quem mora aí no Brasil deve saber, não está fácil pra ninguém.
Aconteceu o impeachment, agora o Lula parece que vai ser investigado por corrupção, o Cunha perdeu o cargo. Foi um bom começo mas ainda não ajudou no clima de pessimismo e principalmente preocupação das pessoas.
Tive 2 amigos que perderam o emprego, e os outros que conversei estavam preocupados com a situação da empresa e estão trabalhando por 10 sem reclamar por conta do medo do corte. Ida ao supermercado é quase uma ida a uma sessão de filme de terror: um susto cada vez que se olha os preços das coisas...
A minha mãe está indo em 3 postos de saúde diferente para poder pegar os remédios que ela precisa tomar. Agora ela toma insulina e recebeu o remédio gratuitamente, só que só deram pra ela 10 agulhas para durar 30 dias (lembrando que são de uso único e descartáveis). Dá uma revolta muito grande mesmo porque se não houvesse a maldita corrupção no país a vida de milhões de brasileiros seria muito melhor.
Sempre aproveito os momentos que estou no Brasil para observar e perguntar. Percebo o quanto as pessoas estão mudando aos poucos de atitude, comportamento e o quanto a tecnologia está cada vez mais presente. Está longe de estar perfeito, mas são pequenos progressos.  Vi ônibus com duas catracas e achei a idéia genial, assim não se perde tempo esperando as pessoas entrarem no ônibus. Achei interessante que alguns ônibus tem tomada USB para recarregar celular. Isso a gente NÃO encontra aqui. Continuo dizendo que sou fã da rede de transporte público da cidade, mas que já passou da hora de dependermos tanto de carros e ônibus para nos locomovermos. O metrô foi muito eficiente para a minha ida com o meu pai até o Corinthians Itaquera pra assistir jogo e retornar pra casa. Sério que em 1h45min nós atravessamos a cidade e um percurso de 73km, só demoramos isso porque nosso último meio de transporte era um ônibus que demorou uns 10 minutos pra sair do ponto final. O meu marido ainda sonha com o dia em que vamos pegar o metrô no Capão Redondo e chegaremos na Santa Cruz, quando a linha lilás do metrô for concluida. Eu tento explicar pra ele que demorou mais de 10 anos para construir uma estação, mas este conceito pra ele é incompreensível. Quem dera que todos pudessem usar mais metrô com segurança e qualidade né? Facilitaria e muito a vida dos paulistanos. Talvez seja um pouco da mentalidade dos moradores também, enquanto eu faria quantas baldeacões fossem necessárias para chegar rápido, a minha mãe por exemplo nunca lembrava de pegar metrô pra nada e por causa disso ficamos paradas num congestionamento gigantesco na manhã que choveu na cidade. Porque a cidade ainda pára quando chove...
Mas no meio do caos e da instabilidade econômica e política as pessoas ainda mantém alegria. Acho que se não fosse assim, como é que a gente conseguiria acordar todos os dias né? Mas acho que tem a questão de colocar o band-aid ou continuar seguindo a vida porque você não tem esperança de que pode fazer algo para mudar. Ouvi um pouco sobre os candidatos a prefeitura da cidade e são sempre as mesmas figurinhas, pra ser sincera se eu tivesse que votar, não teria a menor idéia de quem escolher. Foi bom receber calor humano e visitas inesperadas (e as vezes um pouco incovenientes), ser mimada pelos meus pais e poder brincar com os cachorros. Ouvir a minha sobrinha planejando o aniversário de 9 anos e ficar feliz pelo simples fato de eu estar ali ao lado dela desenhando. Comida fresca feito em cada ou requentada do dia seguinte, mas comida feita com muito amor (e sal) que faz uma falta grande aqui. No sábado antes de retornar fiquei observando a minha família com novos membros sentados à mesa e o mais importante ali não era o almoço e a comida não era nada especial mas sim as risadas e todo mundo falando ao mesmo tempo e querendo dar pitaco e dividir histórias e reclamar das injustas multas de trânsito e a falta de educação dos guardinhas da CET.
Esta última visita mexeu comigo porque acho que finalmente entendi que por mais que esta não seja mais a minha realidade, eu sei como as coisas funcionam e já experimentei todas estas angustias e preocupações e por isso consigo entender as preocupações e frustrações da minha família e amigos que continuam morando lá, mas para eles é um pouco mais complicado entender a minha vida aqui e os problemas que passo por aqui porque no conceito dele eu moro no paraíso e não posso reclamar de nada porque as coisas são piores por lá. O que é verdade, mas não é fácil viver numa cultura diferente, com língua e costumes diferentes. Voltei sentindo-me que enquanto não pertenço totalmente aqui, também não pertenço lá. E isso machuca demais o coração e é difícil de explicar.
Seria ótimo juntar as partes boas dos dois lugares, aí sim a vida seria perfeita, mas enquanto isso não é possível eu escolho as partes boas da Califórnia e tento lidar com os aspectos ruins. A gente nunca sabe o rumo que a vida irá tomar e quero aproveitar ao máximo o presente, porque o futuro é incerto em qualquer lugar do mundo e quem sabe pra onde a vida vai me levar?

Dicas sobre trabalho no Vale do Silício

De vez em quando recebo mensagem de pessoas perguntando sobre o mercado de trabalho aqui na região.
Estou sem trabalhar há alguns anos por conta da faculdade e problemas de saúde, mas gostaria de dar algumas dicas para quem tem curiosidade de saber um pouco sobre o mercado de trabalho daqui.

Nos EUA não existe lei trabalhista que oferece direitos e deveres a todos os empregados como no Brasil. Benefícios variam muito de empresa para empresa e isso acaba sendo munição de grandes empresas para atrair talentos. As informações que colocarei aqui são bem gerais e experiências que tive no mercado formal e informal e também o que observo das pessoas ao meu redor.
  •  Se você não tiver permissão para trabalhar legalmente nos EUA, como visto de trabalho, cidadania ou green card, as chances de conseguir um trabalho em uma grande empresa são quase abaixo de zero.
  • Salário é oferecido por ano, ou seja, quando você é contratado a empresa vai dizer que você receberá 36 mil dólares, isso significa o seu salário bruto do ano inteiro, ou seja, o que você vai receber mesmo é esta quantia dividida por 12 (3.000 por mês salário bruto). Este valor é claro, terá discontos de imposto de renda e sua parte em seguro de saúde. O valor do salário líquido depende do estado em que você mora, pois tem que pagar imposto federal e estadual. Portanto, não fique deslumbrado com uma quantia grande de salário oferecida e não compare a quantia em reais - o custo de vida é alto por aqui.
  • Não existe décimo terceiro. Algumas empresas oferecem bonus para os empregados dependendo dos lucros da empresa e por desempenho individual, tudo isso é acertado na contratação.
  • Você assinará um contrato dizendo suas responsabilidades, benefícios e salário. Aqui eles chamam emprego "at will", ou seja, a qualquer momento este contrato pode ser terminado por qualquer das partes. O aviso prévio geralmente é de 2 semanas.
  • Férias geralmente são em dias úteis e variam de 5 a 10 por ano. Sim, POR ANO! Pra eles férias de 30 dias pagas é coisa de gente preguiçosa (já ouvi isso de um colega) e você ficaria surpreso de saber quantas pessoas não tiram férias e acabam perdendo - dias não tirados não são pagos como no Brasil e expiram depois de um certo tempo.
  • Licença maternidade é de 6 semanas. Não existe licença paternidade - De novo, muitas empresas estão mudando esta regra para atrair talentos, mas este é o normal oferecido.
  • Se você ficar doente e faltar no trabalho, você pode tirar 3 "sick leave" no estado da Califórnia, o que passar disso você tem que tirar os dias das suas férias! 
  • Se a doença for grave, você pode pedir licença não-remunera por um determinado período. Isso vale também se você tiver que cuidar de um membro da família doente
  • Almoço geralmente é um lanche rápido na mesa ou numa salinha dentro do escritório. Algumas empresas oferecem restaurante, mas você paga pela comida e geralmente almoço não demora 1h
  • Se você não for um alto executivo ou trabalha com vendas, possivelmente vai usar trajes mais informais, principalmente aqui no Vale do Silício
  • O QI (Quem Indica) é muito forte por aqui, por isso as pessoas estão sempre fazendo networking. Geralmente se um empregado indica um bom candidato que é contratado e permanece na empresa após o período de experiência, ele recebe um bonus. Por isso as pessoas tem muito cuidado em quem indicam e os melhores postos sempre acabam sendo preenchidos desta forma
  • Existem vários sites para procurar emprego, mas muitas empresas e também recrutadores usam o LinkedIn. Importante fazer um perfil profissional e correto, colocar uma foto profissional. O site também contém muitas vagas de empregos. Já fui contactada 2 vezes por grandes empresas através do LinkedIn.
  • Muito importante ter um currículo verdadeiro e enxuto e sempre escrever uma carta de apresentação para cada vaga que você aplicar. Não existe a idéia de ter apenas um currículo para várias vagas, geralmente um candidato tem um currículo específico para salientar qualidades para a vaga em questão
  • É muito comum a primeira entrevista ser feita através do telefone. Tente passar um telefone fixo ou atenda o seu celular num lugar tranquilo. Algumas empresas também utilizam videoconferência, skype, FaceTime para a primeira entrevista
  • O processo pode ser longo por isso não desanime. Dependendo do cargo pode acontecer até mesmo 3 entrevistas diferentes.
  • Existem muitas oportunidades para empregos em tempo integral mas também meio-período em todas as áreas.
  • Salários também podem ser pagos por hora e o mínimo é estipulado por cada cidade, aqui na região varia de 9 a 10 dólares. Geralmente empregos de meio-período são pagos por hora e variam muito dependendo da posição
  • Para encontrar empregos informais, procure no bom e velho Craiglist, Indeed também oferece várias posições. O bom e velho Google sempre ajuda também.
  • Algumas empresas terceirizam várias posições, então você pode se cadastrar numa agência de emprego e eles te mandam para um determinado cliente (empresa) por um determinado período ou para uma posição permanente. Gigantes como Facebook e Google fazem muita terceirização de serviços, principalmente no administrativo. Você envia currículo e faz entrevista para a empresa terceirizadora e eles tentarão encaixar você em projetos atuais ou futuros que apareçam
  • É muito comum trabalhar em casa, mas tome cuidado com empregos que prometem muito dinheiro por pouco trabalho de casa, geralmente são golpes principalmente se você tem que pagar uma taxa para se colocar no programa. Fique alerta e use sempre pesquise a empresa no Google!!!
  • Vale salientar novamente que grandes empresas exigem sempre que o candidato tenha visto ou permissão de trabalho nos EUA e todas as empresas irão pedir o número de Social Security (o CPF daqui) para poder deduzir os impostos devidos da sua folha de pagamento. Falsidade ideológica é crime sério aqui, principalmente evasão de impostos por isso tome cuidado com a tentação de apresentar documentos falsos para conseguir um emprego, pode arruinar a sua carreira (e vida). 
  • Todas as empresas checam referencia de empregos anteriores e também pessoais. Algumas pedem antecedentes criminais e dependendo da função como motorista por exemplo, exame para saber se a pessoa usa drogas.
  • Independente da sua situação imigratória, jamais permita que alguém te explore. Existem leis para proteger trabalhadores de diversos tipos de assédio: moral, sexual, verbal. Isso é sério! Empregadores podem usar seu medo para tentar te explorar, mas não aceite esta condição e denuncie! Se não quiser entrar em contato com a polícia local, entre em contato com o consulado brasileiro e peça ajuda
  • Jornadas de trabalho de 10, 12 horas são comuns por aqui, infelizmente. As pessoas vivem para trabalhar e não o contrário.
  • Colegas de trabalho serão colegas de trabalho. Geralmente eles não misturam muito vida pessoal com profissional. Seus colegas podem ser uns amores no escritório e fingir que não te conhece quando estiver com sua família e te encontrar no mercado. Aconteceu com meu marido...
  • Assédio sexual é muito sério! Geralmente relação amorosa entre  subordinado e chefe  é proibida pois as empresas temem que o subordinado seja vítima de assédio sexual e há sempre uma linha muito tênue entre romance e um futuro processo por assédio. 
  • Piadinhas racista, homofóbicas, preconceituosas, machistas e religiosas podem custar seu emprego por justa causa.
  • Se você trabalha de autônomo, não esqueça de declarar imposto de renda! Pente fino aqui é coisa séria e é a única coisa que vai com certeza te levar pra cadeia é sonegação de imposto.
Estas foram as dicas que vieram a minha mente no momento, mas devo ter esquecido de algo com certeza. No fundo, no fundo, trabalho é igual em todo lugar do mundo

Falta muito pras Olimpíadas terminarem?

Pode fazer cara feia e julgar, eu não me importo. Não vejo graça em Olimpíadas. Tento assistir as cerimônias de abertura e de encerramento porque é um show sempre, mas não fico colada na televisão vendo jogos e torcendo fervorosamente para qualquer coisa que esteja passando na televisão.
Aliás, acho que o meu espírito olímpico morreu de vez este ano com a palhaçada que é a transmissão do jogos aqui nos EUA. Só um canal tem os direitos de imagem e acreditem ou não nenhum jornal de nenhuma outra emissora pode passar vinhetas dos sports. Para poder assistir a transmissão ao vivo da abertura eu tive que usar serviço de VPN e ver online por uma emissora britânica. A transmissão aqui na Califórnia só começou literalmente quando estava terminando a cerimônia no Brasil. E cheio de comerciais e cheio de comentários idiotas de quem não sabe o que falar mas tem que encher linguiça pra audiência.
Os jogos raramente são trasmitidos ao vivo e claro, a prioridade é sempre mostrar os atletas bam-bam-bans daqui dos EUA.
Acho que desde o começo de julho conscientemente não digo que sou brasileira em conversas, porque todo mundo quer saber o que eu acho das Olimpíadas acontecendo no Brasil, se o Rio estava preparado, se lá não era violento, blábláblá. Ninguém claro, me perguntou sobre a situação política do país, da presidente eleita estar a beira de ser impedida de exercer sua função e ser abolida por bons anos da política brasileira.... O importante é saber quantas medalhas "seus" atletas estão colecionando...
Pra mim não faz sentido algum sentar no meu sofá, comendo besteira e assistir atletas profissionais praticando esportes e ver que um dos patrocinadores oficiais do evento é a Coca-Cola (coisa mais saudável do mundo né?).
Mas claro que não fiquei imune e assisti e li algumas coisas interessantes e queria fazer alguns comentários.
  • Gisele, te dedico! Como pode ser tão linda e atravessar um estádio inteeeeeeeiro desfilando? Só pra quem pode né?
  • Anitta devia ter ficado em casa, o que aquela mulher tem a ver com o Caetano e o Gilberto? 
  • Eu lembro poucas coisas do desfile das nações, mas acho que nunca vou esquecer que existe um país chamado Tonga e do cara que levou a bandeira. Vocês sabem de quem estou falando né?
  • Claro que eu peguei briga no Twitter com vários americanos reclamando que eles estavam no meio do desfile e que foram chamados de Estados Unidos da America! Que audácia a nossa! Mas acho que eles ficaram p. da vida porque ligaram a TV no final pra ver o país deles e já tinha passado. Engraçado que nunca ouvi a Alemanha reclamar e dar piti por ser chamada de Germany e não de Deutschland
  • Guga emocionou demais, mas quando vi o Vanderlei Lima acendendo a tocha os meus olhos se encheram de lágrimas. O cara merece, pra mim sempre foi o candidato favorito eu nem tinha pensado em Pelé.
  • E aquela tocha olímpica linda demais. Fiquei inspirada pra colocar um lustre em casa com aquele design.
  • Assisti um pouco de natação (claro com o Phelps em quase tudo que é lugar na TV). Acho que é um dos meus esportes favoritos e me deu uma vontade enorme de voltar a nadar.
  • Assisti os 15 últimos minutos da final masculina de tenis, já que um britânico estava jogando e meu marido quis assistir. Humildade demais do Andy Murray abrançando o argentino. E eu vi que ele quebrou a estátua que deram pra ele de presente e ele tentou esconder no bolso. hehe
  • Aqui só se fala daqueles nadadores que foram assaltados no Rio. Muita dó deles, mas aquele imbecil americano confrontar alguém com uma arma na cara? Graças a Deus que está vivo, mas de novo só se fala o quanto o Rio é perigoso, blábláblábláblá
  • Vi também o Diego Hypolito e o outro brasileiro ganharem medalha na ginástica olímpica. Muito emocionante. :-)
  • A coisa mais emocionante e bonita foi ver a foto das duas coreanas tirando selfie juntas, esperança de que um dia a Coréia do Norte e do Sul se unam novamente.
  • E por falar em foto, gente me diz como é que o Bolt consegue sair sorrindo, dando joinha na foto enquanto ele corre mais rápido do que o Papa-Léguas?
Ok, chega. Pra quem não ia falar de Olimpíadas, até que eu me empolguei. Só espero que todo o investimento neste evento tenha algum tipo de retorno pro nosso país e pro nosso povo. Os esteriótipos continuam rolando solto por aqui, nisto nada mudou. Espero que pelo menos os jogos inspirem a todos a ter uma vida mais saudável, assistir menos e praticar mais esportes. 

Adele & me - the best part

Já tinha me conformado em assistir os shows da Adele pelo Periscope ou esperar que ela fosse para o Brasil ano que vem pra ter alguma chance de vê-la cantando ao vivo quando o melhor marido do mundo comprou de presente de aniversário pra mim um ingresso que ficava quase lá no céu, mas pra mim não importava porque eu finalmente iria ao show da Adele!
Fiquei sabendo que no dia anterior a cada show, alguns ingressos se tornavam disponíveis de última hora, então instalei o aplicativo da ticketmaster no meu celular e fiquei tentando encontrar estes ingressos à venda. Por  8 vezes encontrei ingressos para shows, porém eles eram em outros estados e até mesmo em Vancouver, e não dava para abandonar as últimas semanas de aula pra viajar de um dia pro outro por causa de um show...

Ingresso disponível no aplicativo da Ticketmaster em Vancouver
Porém a experiência valeu a pena para eu saber quando os ingressos se tornavam disponíveis e pegar as manhas para a compra. O meu marido achava perda de tempo fazer isso já que eu tinha o meu ingresso, só que eu iria sozinha e estava determinada a encontrar um ingresso pra ele.Enquanto isso continuava vendo os shows pelo Periscope, esperando o momento que ela iría chegar na Baía de San Francisco onde ela faria 2 shows em San Jose e um em Oakland.
Uma semana antes do show olhei no site de revenda de ingressos e encontrei um ingresso perto do palco por um preço mais acessível (dobro do preço original, mas muito menos do que a pequena fortuna que as pessoas estavam pagando). Conversei com meu marido e ele aceitou comprá-lo, assim ele ficaria com o meu antigo ingresso e eu estaria pertinho da Adele!
Na semana que ela chegaria na Califórnia, recebi um email do site oficial dizendo que ela tinha adicionado mais dois shows em Los Angeles e haveria pré-vendas para fãs dos EUA e depois para o resto do mundo. Fiquei super feliz, mas a minha felicidade durou pouco porque nas novas datas eu não iria poder viajar pra LA! :(.

Não vou poder ir :(
Só por curiosidade olhei venda para os ingressos em San Jose e encontrei um ingresso na platéia que ficaria perto do pequeno palco que ela tem no meio da arena (no show dela há dois palcos, o principal e um menor no meio do público onde ela canta algumas músicas.
Mandei mensagem pro meu marido se deveríamos comprar e ele falou que se eu conseguisse vender o primeiro ingresso (aquele quase no céu), eu poderia comprar este mais próximo do site oficial e pagando preço original. Então comprei o ingresso pra ele e tratei de vender o antigo ingresso. Olha, eu não sirvo pra ser cambista porque acabei perdendo dinheiro porque o primeiro ingresso que compramos tinha sido uma pequena fortuna e foi vendido pela metade do preço que pagamos, mas ainda valeu a pena porque cobramos o custo do ingresso do meu marido (vou lembrar de nunca mais comprar ingresso em site de revenda com antecedência!).
Mal consegui estudar o resto da semana de tanta expectativa e mal consegui dormir de sexta pra sábado. Pior que tinha um monte de provas e trabalhos finais, mas  como conter a ansiedade?
Finalmente dia 30 de julho de 2016 chegou e fomos preparados com celulares, câmeras e muita ansiedade. Confesso que estava com um pouco de medo do ingresso perto do palco ser falsificado, mesmo o site de revenda garantindo a veracidade do mesmo e só sosseguei quando entrei na casa de show.
A atmosfera estava ótima, tinha gente de tudo o que era jeito, tamanho e idade e todos estavam bem felizes de estarem lá. Até mesmo o meu marido estava sendo contagiado com a minha alegria! Quando entrei na arquibancada e vi o palco, mal consegui respirar! Era verdade! Fiquei super emocionada e feliz! Me despedi do meu marido e fui para o meu lugar na pista e eu não tinha noção do quão perto eu estava do palco!

Hello from the inside of Sap Center :-)
Esperando ansiosamente pelo início do show
Palco B - Sim, é no meio do público da pista! - Vista do assento do meu marido
Visão do palco principal ao lado do palco B

Vista do meu assento! Será que aguento?!
O show foi muito melhor do que eu imaginava e mesmo tendo assistido várias vezes pela internet, ao vivo era muito melhor! Quando ela foi para o palco perto de onde eu estava eu quase tive um piriri!
Pra ser sincera, o show de 2 horas e meia passou voando! Cantei muito, tirei algumas fotos, dancei, acenei pra ela, nunca me diverti tando em um concerto!

A Adele é tão linda pessoalmente :-)
Apesar de estar bem perto do palco, usei o celular e o meu marido disse pra não dar zoom que elas não ficariam boas então as fotos nem dão para ter uma noção do quão perto eu estava, mas o meu marido levou uma câmera ótima e conseguiu mesmo à distância tirar ótimas fotos e fazer vídeos e eu sou muito grata a ele porque eu não estava conseguindo raciocinar direito de tanta emoção. Pra vocês terem uma idéia quando ela foi para o pequeno palco no meio da pista, eu "fui ao banheiro" e me encaixei na muvuca perto do pequeno palco e eu nem me toquei de usar a câmera fotográfica que estava comigo pra tirar uma foto mais de perto, mas usei a do celular e fiquei feliz assim mesmo. Eu queria curtir e curti muito! Algumas fotos ficaram ótimas e vídeos também o que servirão de memória daquele dia.
Na "ida ao banheiro" parei pra dar oi pra Adele :-) .
 A Adele é uma simpatia de pessoa, conversou bastante com o público, levou um casal ao palco, deu um abraço em uma menina enquanto ela trocava de palcos (sim ela passa num corredor no meio do público na pista!). E como ela é linda! E canta demais! Fiquei boquiaberta de como ela canta muito melhor ao vivo do que nas músicas gravadas!
Última música do show Rolling in the Deep com chuva de confetti
 No final do show consegui levar vários confettis, digamos que eu por acaso tenha uma sacola comigo e estava bem perto do canhão que os lançaram... Ainda me doeu o coração de deixar tantos no chão e muita gente nem sabia que eram confettis personalizados que foram escritos pela Adele com  frases das músicas dela. Agora estou pensando no que vou fazer com eles e de pensar que quando soube da existência deles eu achei que não iria pro show dela e comprei alguns na internet... 
10 mensagens diferentes escritas pela Adele
 Saí de lá com muita vontade de voltar no domingo, mas não teve chantagem emocional que funcionasse com o meu marido para comprar ingressos, mesmo eu achando 2 ingressos juntos  pelo aplicativo do ticketmaster. Os lugares ficavam bem no final da pista e longe dos dois palcos, por isso o meu marido me fez abandonar a idéia de comprá-los. Tenho certeza de que se fossem melhores lugares a gente teria ido novamente no domingo e eu teria ficado sem presente de Natal e aniversário por uns 3 anos hahaha.
Mas fica pra uma próxima vez, quem sabe no show no Brasil em 2017?
Bom, os dias depois do show ainda fiquei sob efeito da Adele e ainda tenho que editar os vídeos e fotos, mas só a partir de hoje vou ter tempo livre porque finalmente terminaram a tortura das aulas de verão....
Espero que a gente se encontre em breve e sinceramente espero que a Adele jamais perca a essência dela e se mantenha autêntica neste mundo artístico tão maluco, isso que me faz gostar tanto dela...
Enquanto o nosso próximo encontro não acontece, vou me lembrar com muito carinho do "nosso" primeiro encontro e continuar sempre que possível assistindo os demais shows online pelo Periscope :-)

 Pertinho assim só online pelo Periscope :-)

PS: Sim, ela veste somente um modelo de vestido em todos os shows, ela disse que faz isso para que as pessoas não fiquem reparando em cada pequena coisa que ela faz como trocar de roupa, mas aprecisar sua música :-) (já falei que amo esta mulher né?)

Rotina

Demorei um pouco, mas finalmente vou responder a querida Paulinha! 

"ai que delícia poder perguntar rs. quero saber de vc, da sua rotina, da vida, de tudo rs. x" 

Acho que não dá pra resumir a minha vida inteira em um post, mas a Paulinha me deu uma idéia de escrever um pouco mais sobre a minha vida aqui, já que a gente sempre morre de curiosidades como são certas coisas em lugares diferentes.
Pra ser sincera, a maior parte do tempo acho a minha vida beeeeem normal e até fico um pouco entediada, porque apesar de morar na Baía de San Francisco, tenho a minha rotina e obrigações pra cuidar como em qualquer lugar do mundo...
Este mês eu decidi colocar as caras e fazer "curso de verão" na faculdade, apesar de ser apenas 2 matérias e só faltarem mais 3 semanas estou querendo jogar a toalha, não tem sido fácil.
Pense fazer todas as provas, leituras e ver matéria de 12 semanas em 6! Praticamente toda semana eu tenho prova pra fazer e uma das minhas classes eu tenho 4 livros pra ler consecutivamente e cada um tem cerca de 300 páginas cada... mas não estou reclamando, pois sei que este tempo de sacrifício será precioso pra que eu tenha mais tempo livre no ano que vem.
Prometo que quando esta loucura terminar vou escrever um pouco mais sobre como funciona o sistema de ensino por aqui.
Mas voltando à pergunta da Paulinha, meus dias praticamente são acordar, tomar café com torrada e café, ir pra faculdade de carro, estacionar e ficar sentada na mesma classe das 10 até 3 da tarde. Retornar pra casa e fazer as leituras e lição de casa do dia.
Às vezes o meu cérebro dá um piripaque, e aí eu vou assistir Grey's Anatomy mas olha, os episódios tem sido tão tristes que meu marido desistiu de assistir e eu vejo um só pra poder digerir os fatos. No final da noite eu sempre assisto um vídeo engraçado no youtube ou então sobre filhotes de gatos e cachorrinhos engraçados pra eu poder relaxar e dormir (me julguem!).
A Adele já começou o tour dela aqui nos EUA e quando dá eu assisto os shows (ou pedaços dele) pelo Periscope, mas olha isso não é vida viu... é muito sofrimento! Daqui 2 semanas ela estará aqui em San Jose e eu estou torcendo pra um milagre acontecer e conseguir um ingresso pro show dela. Meu marido está ficando doido já com a minha reclamação e de me ver assistindo quase todas as noites o mesmo show pelo Periscope! :-)
Semana passada eu passei um susto e tive que ir ver o meu médico, eu não sabia mas quem já teve catapora continua abrigando o vírus dentro do corpo e em alguns casos em que a pessoa tenha sistema imunológico baixo, pode desenvoler Herpes Zóster, uma erupção na pele com bolinhas que parecem cheias de água e que doem demais. É tipo uma catapora, mas não é. Olha fiquei uma noite inteira sem dormir e agradeço muito à minha médica por ter me encaixado e me visto como emergência no consultório porque pude assim tomar remédio pra tentar diminuir o estrago e poder tomar remédio para dor. Estamos um pouco preocupados com a situação da minha Lupus, então fiz exames e vou saber no final desta semana os resultados.
Final de semana eu queria muito poder descansar ir ao cinema, mas fico sentada fazendo mais lição. Morro de dó do meu marido que fica perdido sem saber o que fazer em casa então digo pra ele sair e fazer algo que goste, se distrair, não é porque eu não posso sair que ele deve ficar em casa também!
Em pouco tempo esta loucura termina e terei 6 semanas de férias pra poder descansar e colocar as coisas em ordem. Não vejo a hora! ESpero que até lá o filme "Procurando Dory" e "A vida secreta dos bichos" ainda estejam em cartaz! Faz um tempão que não vou ao cinema!
Paulinha, vou ficar devendo mais posts contando um pouco mais sobre as coisas aqui, ok?! Espero que tenha respondido pelo menos um pouquinho sua pergunta :-).

Esperança

Não preciso dizer pra vocês que estamos vivendo dias terríveis, cheio de medo, confusão, ódio.
Ainda estou tentando digerir a zona que está acontecendo aqui nos EUA, esta intolerância racial tão grande que todo mundo finge não ver, pretende que são apenas casos isolados mas que está trazendo uma onda de insatisfação e ódio muito grande por aqui.
Meu marido preocupado com o país dele vivendo uma crise sem precedente, eu preocupada com a bagunça que está no Brasil.
Ontem, a notícia do atentado em Nice e tive calafrios de reconhecer as ruas nas fotos, pois estive lá como tantas outras daquelas pessoas, apreciando dias tranquilos e o mar límpido e cristalino da "Costa Azul" do sul da França.
É pra ficar revoltada, cheia de amargura, de ódio, com medo. Mas no meio desta zona toda, o milagre da vida. Um casal que há muitos anos tentavam ter um filho, receberam com muito amor a filhinha tão esperada e tão desejada.
Então começo a pensar que mundo que esta pequena e inocente criança irá crescer, mas aí veio aquele sentimento imenso de esperança de dias melhores. Que talvez a gente não consiga controlar o mundo, fazer esta loucura terminar, mas podemos educar filhos, sobrinhos, parentes, família, amigos a serem pessoas mais amáveis, gentis, tolerantes, aceitar as diferentes sem abrir mão de suas convicções, lutar pelas injustiças, não fechar os olhos e fingir que não está acontecendo comigo ou com quem eu amo, então não importa.
Aquela pequena e inocente criança e tantas outras que aqui estão e que chegarão são nossa esperança de construirmos um mundo melhor. A gente não precisa ser reconhecidos por milhões, doar milhões para fazer a diferença. Comece contigo. Com sua família, com seus amigos, com conhecidos. Quando menos percebermos, teremos mudado o mundo. Pra melhor. Esta é a minha esperança.

50 perguntas respondidas honestamente

A Paulinha do blog Ô Essa Menina postou 50 perguntas respondidas honestamente  e resolvi entrar no jogo. Nunca respondo estes questionários, mas achei as perguntas interessantes e é sempre legal conhecer um pouco sobre quem escreve o blog. Então lá vai...

  1. O que você está vestindo? 
    • Calça de moleton, camiseta com estrelinhas e botinha felpuda
  2. Já esteve apaixonada? 
    • Já sim!
  3. Já teve um terrivel final de relacionamento?
    • Como diz uma piada aqui de 0 a Adele qual foi um terrível final de relacionamento, já tive um sim e foi difícil me recuperar porque gostava da pessoa e além de me trair, disse coisas horríveis pra mim
  4. Qual a sua altura?
    • 1,55m
  5. Quanto você pesa?
    • 80 e alguma coisa
  6. Tem tatuagens?
    • Não, mas em 2007 estava quase pra fazer uma quando um amigo me desaconselhou e eu desisti. Iria fazer 3 estrelas
  7. Tem piercings?
    • Não, só orelhas furadas
  8. Um casal perfeito?
    • Noah e Allie do filme "Diário de uma paixão"
  9. Show favorito?
    • Anos incríveis e Gilmore Girls
  10. Banda favorita?
    • Brasileira: Jota Quest e internacional: Coldplay. Das duas... Coldplay!
  11.  Sente falta de algo?
    • Da minha mãe
  12. Qual sua canção favorita?
    •  Yellow do Coldplay e Fácil do Jota Quest
  13. Qual sua idade?
    • 35! Acabei de completar semana passada. :-)
  14. Seu signo?
    • Não acredito em signos, mas dizem que é Cancer
  15.  Qualidade que procura em um parceiro?
    • Companheirismo, sinceridade. Graças a Deus achei!
  16. Frase favorita?
    • Tudo muda, menos Jesus
  17. Ator favorito?
    • Ryan Reynolds, só porque ele é lindo de morrer... não tenho ator/atriz favoritos
  18. Cor favorita?
    • Antigamente era azul, agora ando meio obsecada por roxo de todos os tons
  19. Música alta ou baixa?
    • Se for para espantar a tristeza ou estiver muito alegre, bem alta. Mas se for para estudar ou quando estou dirigindo, baixa.
  20. Pra onde você vai quando está triste?
    • Se estiver em casa eu me deito. Se estou fora de casa pra um lugar onde possa ver natureza e ficar em silêncio.
  21. Quanto tempo você demora pra tomar banho?
    • Uns 10 minutos se for lavar o cabelo, senão mais rápido, afinal, moro num lugar que sofre falta de água
  22. Quanto tempo você leva pra ficar pronta de manhã?
    • Preciso acordar com 1 hora de antecedência de quando preciso sair porque meu corpo demora um pouco pra "acordar" já que sinto muitas dores pela manhã.
  23. Já esteve numa briga física?
    • Já, com uma prima e várias vezes com minhas irmãs.
  24. Turn on?
    • Sorriso e humildade
  25. Turn off?
    • Mentira e arrogância
  26. Razão pela qual eu me inscrevi no blogger?
    • Desde meus 13 anos escrevo em blog, criei este para compartilhar minhas experiências morando fora e conectar com outras pessoas nesta situação.
  27. Medos?
    • De ver as pessoas que eu amo sofrer
  28. A última coisa que fez você chorar?
    • O concerto da Adele no Glastonbury. Fiquei emocionada porque ela estava bem feliz, dava pra ver que era alguém realizando um sonho.
  29. A última vez que você disse que amava alguém?
    • 40 minutos atrás quando meu marido saiu de casa
  30. O significado do nome do seu blog?
    • Diz na lata do que se trata: uma paulistana (eu) que mora na Califórnia.
  31. Último livro que você leu?
    • Inteiro foi um de crônicas da Marta Medeiros que uma amiga me deu e comecei a ler o "Eu sou Malala" mas tive que deixar de lado por conta da faculdade
  32. Qual o livro que você está lendo atualmente?
    • Por enquanto nada, por conta da faculdade
  33. O último show que você assistiu?
    • Show ao vivo foi do Elton John - a million dollar piano. Pela internet Adele e Coldplay em Glastonbury ao vivo
  34. Última pessoa com quem você conversou?
    • Meu marido
  35. Relação com a última pessoa que você enviou Txt message?
    • Casada. Meu marido
  36. Comida favorita?
    • Macarrão, especialmente os noodles
  37. Lugar que você quer visitar?
    • A lista é longa, mas o que planejo ir em breve: Muralhas da China, Ilha de Páscoa
  38. O último lugar em que você esteve?
    • Viena, Áustria
  39. Você tem um crush?
    • Sim, Ryan Reynolds. Até meu marido sabe e dá risada...
  40. Última vez que você beijou alguém?
    • 5 minutos atrás
  41. A última vez que alguém te insultou?
    • Semana passada
  42. Qual o doce favorito?
    • C-H-O-C-O-L-A-T-E amargo. De preferência com avelã
  43. Qual instrumento você toca?
    • Por enquanto nenhum, tentei aprender violão quando criança e agora quero aprender piano
  44. Peça de jóia favorita?
    • Anel de noivado e aliança de casamento
  45. Último esporte que você praticou?
    •  Serve aqua-aeróbica?
  46. Última música que você cantou?
    • Fix you do Coldplay
  47. Sua frase pra puxar papo favorita?
    • E aí, beleza?
  48. Você já usou?
    • O tempo inteiro
  49. A última vez que você esteve com alguém?
    • Maratona de Grey's anatomy com meu marido
  50. Quem deve responder este questionário depois de você?
    • Todos que quiserem. :-)

Difícil falar sobre "a melhor viagem da minha vida"...

Seguindo os posts pergunte à Paulistana, a Mari escreveu:

"Conta para nós: de todas as viagens que você fez, qual gostou mais e por quê? Bjos!"

Sem brincadeira, acho que esta é uma das perguntas mais difíceis de responder. Estava enrolando pra escrever este post porque por alguns dias fiquei pensando na resposta e simplesmente me veio à memória pelo menos umas 10 viagens diferentes  que foram especiais pra mim e poderia considerá-las a melhor viagem da minha vida...
Porém, tive o privilégio de conhecer 2 lugares muito especiais (sei que era só uma viagem, mas vou explicar), que me trouxeram lágrimas aos olhos e fiquei simplesmente sem palavras. Estes lugares fazem parte de uma "Bucket list", ou seja, lugares que quero conhecer antes de morrer e desde que me entendo por gente sou fascinada e sonhava em colocar os pés nestes dois lugares. Então a emoção e a alegria são sempre revividos quando falo e vejo a foto destas viagens porque são muito especiais pra mim.

Grand Canyon
Lembro-me exatamente da emoção quando vi o Grand Canyon pela primeira vez. Eu chorei e fiquei uns 10 minutos sem conseguir proferir uma única palavra. Você pode ver milhões de fotos, filmes, ouvir falar do lugar, mas nada te prepara pra olhar aquele lugar com teus próprios olhos. É de uma grandeza e beleza que não tem descrição.
A primeira vez que fui lá ainda estava na fase de namoro com meu marido e eu jurava que ele ia me pedir em casamento lá, porque ele sempre soube o quanto eu sempre desejei conhecer o Grand Canyon, mas não aconteceu, só umas semanas depois. Desde aquela primeira viagem tive o privilégio de retornar lá mais 2 vezes e se você me chamar pra ir pra lá, pode contar comigo!

Grand Canyon 2015 - última visita ao parque

Stonehenge
Outro lugar que fiquei simplesmente sem palavras quando vi com meus próprios olhos, o coração cheio de emoções. Quase bati no meu marido porque ele me disse que era só um punhado de pedras pesadas no meio do mato (o que não é de todo mentira), mas sempre gostei muito da história e dos mistérios envolvendo aquele lugar e claro, quantas e quantas tardes passei contemplando o fundo da tela de trabalho no computador vendo aquela foto e promentendo pra mim mesma que um dia veria aquele lugar com meus próprios olhos. Não me decepcionou e vai ficar guardado no meu coração pra sempre.
Stonehenge 2015


Obrigada Mari pela pergunta!

Se pudesse escolher, continuaria aqui...

A Gisley fez a primeira  pergunta  no post Pergunte à Paulistana 
 
"Se pudesse escolher um local para morar e dinheiro não fosse problema, moraria na Califórnia ou em outro estado americano?Pq?"
 
Já me fiz esta pergunta um milhão de vezes e tanto eu como o meu marido chegamos à mesma conclusão: mesmo se o dinheiro não fosse um problema nós continuaríamos morando aqui na Califórnia. Há mais de uma razão pra isso...
 
1 - Gosto do clima e ajuda a minha saúde.
Ok, o clima aqui não é 100%, porque ninguém merece morar num lugar que não chove por meses e o ar é seco, mas por aqui nunca é muito quente e nunca é muito frio. Tinha me esquecido como é úmido na costa leste quando fui pra New York no verão há alguns anos e dei graças a Deus quando voltei pra casa. Além disso, no inverno não temos problemas com neve e muito frio.

2 - Bom convívio com o "desastre natural" da região
Sempre digo que aqui nos EUA você precisa qual desastre natural você quer enfrentar. Tem nevascas, enchentes, tornados, furacões, terremotos. Prefiro os terremotos que acontecem de vez em quando do que desastres naturais que acontecem todos os anos em determinadas estações do ano. 

3 - Variedade cultural
A região que moramos tem uma parcela enorme de imigrantes e pessoas com estilos de vidas alternativos. Isso acaba "forçando" todos a conviverem com diferenças de uma forma pacífica. Claro que existem pessoas racistas, homofóbicas, preconceituosas, mas há muitas leis que forçam as pessoas a serem pelo menos tolerantes umas com as outras. A grande variedade cultural também traz benefícios na área da culinária porque encontramos diversos restaurantes, mercados de comidas típicas de vários lugares do mundo. Aprendi tanto sobre outras culturas, religiões só pelo fato de conviver com pessoas de diversos lugares do mundo.

4- Aeroportos internacionais de fácil acesso
Tanto a minha família como a família do meu marido moram em outros países, então pra nós é muito importante termos fácil acesso à aeroportos, não somente para viagem a passeio, mas meu marido viaja muito a trabalho e principalmente emergências.
 
O único outro estado que talvez moraria seria o Hawaii, mas quando avaliamos segundo os critérios acima, continuamos com a Califórnia!
 
Obrigada pela pergunta Gisley, vou tentar responder uma das perguntas por semana!















Pergunte à Paulistana.

Tenho as melhores idéias do que escrever no blog quando estou olhando para a tela do computador tentando redigir trabalhos para a faculdade.
Aí falo: "Assim que terminar isso, vou lá escrever este post no blog". E o tempo passa, ou falta.
Férias de verão chegando e vou ter muito, mas muito tempo disponível e quero fazer coisas produtivas e tentar dar uma arrumada nas coisas por aqui.
Então por favor gostaria de saber de você que chegou por aqui, se tem algo que você sempre quis saber sobre a Califórnia, EUA, lupus,cultura, inglês, São Paulo, computador, viagens, qual minha cor favorita, etc,etc, etc. Prometo responder. Tô num animo pra escrever!
Só deixar pergunta no comentário deste post!

Vivendo o que um dia sonhei.

Hoje meu dia estava uma meleca (pra não dizer outra coisa).
Extremamente cansada fisicamente, emocionalmente e mentalmente tive que me arrastar da cama para estudar para as 2 provas de hoje.
Enquanto me concentrava, lembrei das outras 2 apresentações que tenho para a semana que vem mais o trabalho. No fim, tive que comer qualquer coisa que estava na geladeira. Mal tive tempo de conversar com o meu marido por telefone. Maldito fuso horário.
No caminho pra faculdade todo motorista lento resolveu dirigir à minha frente. E o calor que só aumentava o meu cansaço. Nem eu estava me suportando de tanto mal humor e dor.
Ao sair da sala de aula depois da última prova, vi que uma amiga tinha respondido uma mensagem que mandei dizendo que hoje o dia estava difícil. E a gente começou a filosofar sobre o que é realmente importante nesta vida. Fazer coisas que te deixa feliz. Ponto final. E o que me deixa feliz não é necessariamente o que te deixa feliz. Embora a gente sempre fica tentando fazer a fórmula da felicidade do fulano dar certo na minha vida também.
E caminhando pelo campus passei pelo pátio principal com o mastro das bandeiras americana e do estado da Califórnia. O calor já tinha passado e o céu estava azul, com algumas nuvens levadas pelo vento.
E aí eu sorri.
Sorri porque me lembrei que um dia, há muitos anos eu sonhei muito com o dia em que eu iria aprender inglês. E que iria viajar pelo mundo e conhecer gente nova, culturas diferentes...
E me dei conta ali naqueles segundos que estava em uma faculdade americana, saindo da aula de matemática indo pra minha casa... na Califórnia. Não estou querendo me gabar, mas às vezes a gente precisa parar e pensar que estamos vivendo coisas que um dia sonhamos ou idealizamos. Mesmo no meio do caos, das nossas lutas diárias é importante parar e apreciar o que temos. Aqui isso é chamado de mindfulness, ou viver no momento presente e apreciá-lo. A gente sempre está correndo e com a cabeça cheia de problemas e preocupações que muitas vezes nos esquecemos de viver o hoje e sermos gratos pelo o que temos.
Agora os sonhos são outros e no meu coração tive a paz e a certeza de que eles se realizarão um dia. E se não acontecer, outras coisas que não planejo no momento acontecerão.
Respirei fundo, agradeci a Deus e sorri. Ao invés de me cobrar lembrei das minhas qualidades, vitórias e sonhos realizados até aqui. E isso deu uma energia ótima e o dia que começou ruim, terminou tranquilo e bem.
Na conversa com minha amiga, falamos que devemos fazer o que nos faz feliz e por isso estou aqui. Porque escrever me faz feliz, muito feliz e queria compartilhar esse sentimento bom com mais alguém.

As bandeiras da faculdade


...

Hoje à noite nos encontramos novamente.
Como sempre o nosso encontro foi breve e interrompido de forma brusca.
Achei estranho a última coisa que me lembro de ouvir você dizer é que queria muito ir pra praia.
A praia... logo a praia...
Acordei com o coração apertado, saudade enorme no peito.
Tem dias que eu queria tanto que você estivesse aqui.
Imagino o grande homem, marido, pai que você teria se tornado.
Pensando em você dirigi pra faculdade e lá alguém me compartilhou uma tragédia que  se assemelhava muito com a sua.
E eu não consegui conter as lágrimas. Não tem como.
Foi num dia de verão, numa praia, de férias, que o tempo pra você parou.
Um jovem brilhante, cheio de amor, de vida, de alegria e sabedoria.
Você não me viu realizar os meus sonhos, virar adulta.
Eu não fui ao teu casamento que estava tão próximo, os filhos, o sucesso profissional.
Parece que foi ontem, mas 15 anos se passaram daquele dia, e eu ainda choro quando lembro dele.
Lembra do último cartão de aniversário que te escrevi? Não tinha idéia mas escolhi as palavras certas, que faria mais sentido pra mim do que pra você.
"Se um dia a gente se perder nesta vida, nos encontraremos novamente no céu".
O meu consolo é saber que você não sofre, não vive neste mundo maluco, que está dormindo em paz.
E como Renato Russo já disse um dia...
"É tão estranho, os bons morrem jovens.
Assim parece ser, quando me lembro de você e de tanta gente que se foi cedo demais..."

Está chegando o verão...

Amanhã é Memorial Day aqui nos EUA. Um feriado que acontece todos os anos na última segunda-feira do mês de maio que "marca" o início do verão pelas bandas de cá.
O feriado em si consiste em prestar homenagens àqueles que morreram durante batalhas em guerras em nome dos EUA. Geralmente milhares de voluntários vão em cemitérios militares e colocam uma bandeirinha americana em cada tumba é algo impressionante, mas também muito triste. Em vários lugares há pequenas cerimônias, minuto de silêncio e tocam uma melodia muito triste no trompete. Já há alguns anos eu não vou à igreja que frequento no domingo que antecede Memorial Day porque eles sempre fazem um culto homenageando os soldados, com a música triste no trompete e eu fico extremamente chateada e triste, mesmo sem conhecer ninguém que tenha morrido em uma guerra. Sei lá, eu tenho muita dó dos homens e mulheres que acabam morrendo em guerras que muitas vezes é apenas um jogo político e que nunca acaba bem, com nenhum "vencedor".
Voltando ao verão, eu sempre achei muito engraçado esta coisa do verão começar no final de semana do Memorial Day, as pessoas organizam churrasco, há várias promoções em shoppings e lojas e geralmente já está esquentando.
Logo em seguida as crianças começam a entrar de férias escolares, os jovens tem graduação do ensino médio (high school) e também da faculdade. É uma época festiva e cheia de expectativas. Pra quase todos, of course.
Ao mesmo tempo que o trânsito melhora porque as crianças não vão pra escola, começa a temporada oficial de viagem e ir para parques nacionais, e pontos turísticos começa a ficar um caos. Os hotéis ficam cheios e caros, aeroportos idem. O máximo que eu posso, evito viajar nesta época do ano, além do mais o calor pelas bandas de cá pode chegar à 40C (bandas de cá eu digo EUA no geral, São Francisco como já expliquei aqui é um caso à parte).
Existem poucos feriados prolongados por aqui, então o povo aproveita o máximo que pode. Eu claro, estou sentada na minha mesa da cozinha fazendo trabalho e estudando pra provas de quarta-feira, porque os professores acham que todos, menos os alunos tem direito de aproveitar um feriado prolongado né?
Pra mim, férias de verão estão longe de acontecer, meu trimestre termina no final de junho e acho que vou acabar emendando dois cursos no verão, vamos ver.
Mas que esta época deixa as pessoas um pouco menos carrancudas, isso deixa, mesmo morando aqui que Sol e dias lindos acontecem praticamente o ano inteiro. Pra nós residentes da  Califórnia, a maior preocupação é sem dúvidas as grandes queimadas que acontecem por causa da secura e da falta de chuvas da época, tomara que este ano não seja pior do que ano passado e que as pessoas continuem conservando água.
Ah no verão começam também as "Yard Sale" ou "Garage Sale", onde as pessoas colocam o que não quer e está em bom estado em frente de casa e no quinta pra vender a preço de banana. Minha mãe adora estas coisas, eu não tenho paciência de ficar parando e olhando coisas, mas se acha de tudo e algumas coisas valem a pena...
Ah, o verão... que ele traga coisas boas para o coração também, porque nós estamos precisando... e até quando as tão merecidas férias não chega, seguirei o conselho da Dory "keep swimming, keep swimming"(neste caso, infelizmente não no sentido literal).

Chewbacca Mask Lady

Se você não viu este vídeo, está perdendo uma ótima oportunidade de rir até a barriga doer.
Pra quem teve uma semana com péssimas notícias, foi a melhor maneira de encerrar a sexta-feira.
Já assisti 5 vezes e chorei de rir todas elas, até mandei uma mensagem para a Candance dizendo que ela fez o meu dia, espero que ela leia a minha mensagem no meio de milhões outras.

Pra quem não entende muito inglês, ela foi em uma loja de departamento e comprou uma máscara do Chewbacca como presente de aniversário pra ela mesma. Ela estava gravando um vídeo ao vivo para mostrar pros amigos e família. Ela abre a máscara e experimenta. O resultado é simplesmente hilário!

Chewbacca Mask Lady

 Assistam e me digam o que acharam.

Por enquanto... tchau, querida.

Hoje acordei com a notícia de que a Dilma tinha sido afastada para que ocorrece o julgamento do impeachment dela.
Pulei da cama para ver o que estava acontecendo na televisão e aparentemente nada estava acontecendo, a Fátima Bernardes continuava com aquela ladainha dela do programa pela manhã, exatamente no momento em que a Dilma estava fazendo um pronunciamento do lado de fora do Palácio do Governo. Que porcaria.
Um passo importante para a limpeza da sujeira foi dado, mas me embrulha o estômago ver várias pessoas que foram citadas na Lava Jato fazendo parte dos novos ministérios, inclusive o Michel Temer.
As barbaridades na internet rolando soltas e em dias como hoje dou graças a Deus por não participar do facebook. Imagino a zona que deve estar por lá, mas no Twitter o pessoal estava falando muito também.
Um dos fatos que mais me indignou foram pessoas dizendo que votaram na Dilma e não no Temer. E que não se deveria votar num candidato analisando quem é o seu vice. Mas olha, eu dou risada com comentário destes porque nem sei por onde tentar ajudar a pessoa ver o tamanho da ignorância dela.
Coisas muito peculiares aconteceram durante este processo, momentos em que não acreditava no que via, no que ouvia. Não sei vocês, mas eu fiquei com extremo nojo em ver a cara do Collor, sim do COLLOR votando a favor do impeachment, como se ele fosse a pessoa mais ficha limpa do planeta. Ironia do destino, sim, mas na minha humilde opinião nem lá ele deveria estar...
Quero que a limpeza não pare por aqui. Desejo do fundo do meu coração que todos aqueles que participaram de esquemas de corrupção sejam punidos. Quero mais ainda que todo o sistema político mude para que quem esteja no poder governe para o povo e não para si e para seus amigos/companheiros/família.
Não sei sinceramente o que esperar  nos próximos dias. Só posso dizer que tanto quanto a Dilma, Michel Temer não merece estar ocupando cargo de presidente do nosso querido país.
Nunca imaginei que veria novamente o processo de impeachment de um presidente do Brasil, mas cá estamos. E que eles aprendam a lição. E que nós também possamos aprender de uma vez por todas a votar direito.

World Lupus Day / Dia Mundial de Conscientização do Lupus

Fonte: lupus-sle.org
Hoje é o dia mundial de conscientização do Lupus.
Nos posts sobre conscientização da Lupus 1 e 2  de anos anteriores falei um pouco sobre o que é Lupus e sobre a minha jornada vivendo como portadora da mesma.
Apesar de vários rumores - inclusive a cura por uma pesquisa da Flórida, não foi feito nenhuma descoberta significativa para a cura e novos tratamentos para a mesma.
Como paciente, a minha vida virou de ponta cabeça e agora aos poucos parece que quase tudo está voltando ao normal. Pelo menos no meu "novo normal". Alguns planos foram mudados, outros jogados no lixo, mas tudo bem. No fundo, hoje posso enxergar que muita coisa boa aconteceu na minha vida com a chegada do Lupus. Não que eu agradeça por ter uma doença crônica e incurável, mas aprendi muito sobre a vida e tenho tentando realmente viver uma vida mais leve e feliz.
Tento focar nas coisas que posso fazer, em quem posso ajudar ao invés daquilo que foi tirado de mim. Assim fica mais fácil e mais leve seguir em frente.
Se você conhece alguém que tem Lupus, dê um abraço, uma palavra de apoio. Melhor ainda, empreste com carinho e atenção seus ouvidos para ouvir o que a pessoa tem a dizer. Esta é uma jornada difícil e porque muitos não aparentam estar doentes sofrem muito preconceito, são incompreendidos e chamados muitas vezes de impostores - como infelizmente já aconteceu comigo.
Meus desejos neste dia são: que o respeito aumente, que as forças para enfrentar os dias difíceis nunca se esgote. Acima de tudo, que a cura seja descoberta, pra minha alegria e outros milhões que sofrem deste mal por aí.
Como diz uma famosa frase por aí... "Todo mundo está enfrentando uma batalha no momento."Algumas mais visíveis do que outras, mas todos nós somos guerreiros e vencedores.



Quem não é bem-vindo aqui no blog

Todo mundo é bem vindo aqui no blog.
Entre, fique a vontade. Leia o que quiser, comente se quiser. Faça perguntas por email se sentir vontade também.
Porém, falta de respeito, falta de educação, discriminação, apoio à atos ilegais/ilícitos, xingamentos, palavras de baixo calão e ofensas não são e nunca serão bem-vindos aqui.
Se você comentou em algum post e o mesmo não foi aceito ou se você me enviou email e não foi respondido, pode ter certeza de que a sua mensagem caiu nesta categoria descrita aí em cima.
Ninguém é obrigado a concordar comigo - e sei que tem gente que não concorda mesmo já fui atacada publicamente em um outro blog uns tempos atrás, mas se você quiser colocar a sua opinião contrária, é muito bem vinda desde que seja feita com educação.
Se existe algo que não tolero e não suporto na internet é a agressividade e falta de respeito com o próximo, por isso o blog e o Twitter são as únicas plataformas que tenho na rede. Além de passar uma mensagem horrível de quem o faz, acaba desgastando quem lê.
Só queria esclarecer este assunto de uma vez por todas.
Boa semana pra todos e sejam gentis sempre. Lembrem-se que o silêncio, às vezes é a melhor resposta.


Departures.

Acabei de assistir o último episódio da série chamada Departures.
Fonte: facebook.com/departuresTV

Descobri este show quando estava doente no ano de 2014 e passei horas em frente a televisão assistindo 3 amigos (um sempre escondido atrás da câmera) viajando pelo mundo a fora.
A princípio seria uma viagem de 1 ano, que se extendeu por 2, que terminou no terceiro ano. Pra quem gosta de viagem, conhecer culturas diferentes, este é o seriado imperdível.
A fotografia é simplesmente maravilhosa, feita por Andre Dupuis e te faz querer muito, muito, muito ser companheira de viagem deles ou pelo menos pegar a sua mala na primeira oportunidade e seguir rumo ao aeroporto.
O mais legal de tudo é que eles foram para lugares pouco explorados e mesmo aqueles que já são batidos em programas de viagem (eles foram ao Brasil!) mostram uma perspectiva nova do local.
A mensagem da série é para que você pegue sua mochila ou sua mala da Louis Vitton, não importa o seu estilo ou o tanto de dinheiro que tem no bolso, o mundo é muito grande e vale a pena ser explorado.
Confesso que fiquei com os olhos cheios de água no último episódio que foi gravado na Austrália, porque eles dizem que não importa o quanto você viaje pelo mundo, chega uma hora que é preciso retornar para casa.
O programa é divertido, interessante e os dois amigos Scott Wilson e Justin Lukach são lindos também :-).
Não sei se o programa está disponível no Netflix do Brasil, mas aqui nos EUA estão disponíveis as temporadas 1 e 2. Procurem por Departures.
Eu comprei o set de DVD deles que não tem restrição de região no site Departures Store e digo que valeu a pena porque todos os episódios tem uma versão comentada, cenas deletadas, fotos, enfim... no momento em que não posso viajar por conta das minhas obrigações, é bom sentar no sofá e imaginar e sonhar em um dia ver todos aqueles lugares com os meus próprios olhos.
Espero que vocês tenham oportunidade de assistir este programa!

PS: Esta é uma opinião minha sobre a série. Não ganhei nada para falar sobre ela aqui, sou apenas fã deste programa maravilhoso e gostaria que mais pessoas tivessem acesso a um programa de super qualidade!

Adele & me - part 2

Meu drama com a Adele ainda não terminou.
Acabei de me dar conta que não contei a parte mais dramática da nossa história.
Em fevereiro antes do Grammy, a Adele fez uma apresentação surpresa num pequeno teatro (capacidade 2.300 pessoas) - comparado com os grandes shows com 10, 20, 30 mil pessoas numa arena. O show foi no dia 12 de fevereiro e as pessoas só ficaram sabendo no dia 10 de fevereiro através de um email.
Nem todo mundo recebeu este email com código para entrar no site oficial para tentar comprar tickets, apenas fãs registrados no site que morasse na Califórnia. Advinha quem recebeu o tal email? EUUUU!
Quase tive um treco quando vi o email com o código de acesso e pulei de felicidades quando me dei conta que tinha me registrado duas vezes no site com emails diferentes, ou seja, teria a oportunidade de tentar com dois códigos diferentes entrar na fila pra briga dos ingressos. Este email chegou na quarta de manhã, dia 10 e a venda dos ingressos seria no dia seguinte, dia 11 ou seja, apenas 1 dia antes do show numa sexta-feira em L.A.
Vocês acham que os mais de 600kms de distância entre a minha casa e Los Angeles iria me impedir de encontrar a Adele? Convenci o meu marido a reservar hotel e comprar passagem de avião pra nós dois, aproveitaríamos a desculpa do show e passaríamos o final de semana em LA para o Valentine's Day que seria dia 14. Tudo perfeito, só precisávamos comprar o ingresso mas eu tinha fé de que iria dar tudo certo.
Às 10:55 da manhã do dia seguinte, 5 minutos antes das vendas dos ingressos começarem, eu estava no telefone em conferência com o meu marido que estava no trabalho. Cada um com um código, tinha que dar certo. Às 11 em ponto logamos no site e conseguimos entrar na fila de espera para comprar ingressos, o meu coração na boca já que já era uma grande conquista conseguir logar no site... os minutos foram se passando e eu fui ficando nervosa até que o meu marido do outro lado da linha disse: entrei! Vou comprar ingressos!
Vocês não tem idéia do quanto o meu coração bateu forte e o quanto eu gritei de felicidade, eu não conseguia nem pensar mas continuava na fila. Aí o meu marido soltou um "BOSTA!" e sabia que tinha dado errado. Deu um erro na hora de fechar a compra dos ingressos dizia que não tinha dois ingressos juntos, pra mim não importava, compra qualquer lugar, aí deu erro de novo e os ingressos SUMIRAM! Nem deu tempo pra tentar finalizar a compra apareceu mensagem de erro e entramos na  fila novamente! Eu quase SUUUUUUUURRRTEEEEEI! Cada ingresso custava apenas 50 dólares!
A raiva era tanta, tanta, mas continuei ali na fila até que eu consegui ver ingressos e tentei comprar 1 e deu erro, tentei novamente deu erro,  não era possível! Porque a Adele estava fazendo isso comigo???!!!! Fiquei olhando incrédula a tela até que apareceu a mensagem "INGRESSOS ESGOTADOS".
Não sabia se chorava ou se gritava de raiva. Os ingressos estavam ali, na minha mão (virtual) e foram tomados de mim. Eu fiquei tão triste, mas tão triste que comecei a chorar. O meu marido perguntou se ainda queria ir pra LA e eu falei pra cancelar tudo, iria morrer de raiva se fosse (o hotel era perto da casa de show) e não pudesse entrar. Uma má idéia, porque como os ingressos só podiam ser pegos no local, quem não foi buscar em horário determinado acabou perdendo e algumas pessoas que compareceram na porta na hora do show conseguiram comprar ingresso. E no final a Adele ainda apareceu na janela pra dar tchau pros fãs que estavam do lado de fora e não puderam entrar. Olha, eu fiquei com tanta raiva que até mesmo hoje, passado quase 3 meses do episódio eu não posso ver fotos daquele dia que me sobe o sangue...
A coisa boa é que algumas almas caridosas transmitiram o show ao vivo pelo Periscope, um aplicativo de streaming que tem sido o meu melhor amigo desde então. Não consigo entender, mas agradeço quem vai ao show e ao invés de curtir registra tudo pelo celular transmitindo ao vivo pela internet. Desde então é assim que tenho acompanhado shows inteiros da turnê da Adele.
Mas é meio tortura porque só dá mais raiva de não ter ingresso e mais vontade de estar por lá... ainda tenho esperança de que eles vão mudar o layout da pista e ingressos estarão à venda por aqui...
No final das contas, naquele final de semana eu e o meu marido acabamos tão doentes - ele gripado e eu com laringite que passamos o final de semana do dia dos namorados de cama. Talvez tenha sido melhor não termos ido pra LA naquele final de semana ,mas se eu tivesse conseguido ingresso eu ia praquele show de qualquer jeito...
E juro pra vocês que o desastre da apresentação dela no Grammy não foi praga minha!

Fonte: Google images - Adele no concerto do Wiltern