Esperança

Não preciso dizer pra vocês que estamos vivendo dias terríveis, cheio de medo, confusão, ódio.
Ainda estou tentando digerir a zona que está acontecendo aqui nos EUA, esta intolerância racial tão grande que todo mundo finge não ver, pretende que são apenas casos isolados mas que está trazendo uma onda de insatisfação e ódio muito grande por aqui.
Meu marido preocupado com o país dele vivendo uma crise sem precedente, eu preocupada com a bagunça que está no Brasil.
Ontem, a notícia do atentado em Nice e tive calafrios de reconhecer as ruas nas fotos, pois estive lá como tantas outras daquelas pessoas, apreciando dias tranquilos e o mar límpido e cristalino da "Costa Azul" do sul da França.
É pra ficar revoltada, cheia de amargura, de ódio, com medo. Mas no meio desta zona toda, o milagre da vida. Um casal que há muitos anos tentavam ter um filho, receberam com muito amor a filhinha tão esperada e tão desejada.
Então começo a pensar que mundo que esta pequena e inocente criança irá crescer, mas aí veio aquele sentimento imenso de esperança de dias melhores. Que talvez a gente não consiga controlar o mundo, fazer esta loucura terminar, mas podemos educar filhos, sobrinhos, parentes, família, amigos a serem pessoas mais amáveis, gentis, tolerantes, aceitar as diferentes sem abrir mão de suas convicções, lutar pelas injustiças, não fechar os olhos e fingir que não está acontecendo comigo ou com quem eu amo, então não importa.
Aquela pequena e inocente criança e tantas outras que aqui estão e que chegarão são nossa esperança de construirmos um mundo melhor. A gente não precisa ser reconhecidos por milhões, doar milhões para fazer a diferença. Comece contigo. Com sua família, com seus amigos, com conhecidos. Quando menos percebermos, teremos mudado o mundo. Pra melhor. Esta é a minha esperança.

Comments

Popular posts from this blog

É legal viver ilegal nos EUA?

...

O dia que a professora de espanhol quase enfartou em classe