Dicas sobre trabalho no Vale do Silício

De vez em quando recebo mensagem de pessoas perguntando sobre o mercado de trabalho aqui na região.
Estou sem trabalhar há alguns anos por conta da faculdade e problemas de saúde, mas gostaria de dar algumas dicas para quem tem curiosidade de saber um pouco sobre o mercado de trabalho daqui.

Nos EUA não existe lei trabalhista que oferece direitos e deveres a todos os empregados como no Brasil. Benefícios variam muito de empresa para empresa e isso acaba sendo munição de grandes empresas para atrair talentos. As informações que colocarei aqui são bem gerais e experiências que tive no mercado formal e informal e também o que observo das pessoas ao meu redor.
  •  Se você não tiver permissão para trabalhar legalmente nos EUA, como visto de trabalho, cidadania ou green card, as chances de conseguir um trabalho em uma grande empresa são quase abaixo de zero.
  • Salário é oferecido por ano, ou seja, quando você é contratado a empresa vai dizer que você receberá 36 mil dólares, isso significa o seu salário bruto do ano inteiro, ou seja, o que você vai receber mesmo é esta quantia dividida por 12 (3.000 por mês salário bruto). Este valor é claro, terá discontos de imposto de renda e sua parte em seguro de saúde. O valor do salário líquido depende do estado em que você mora, pois tem que pagar imposto federal e estadual. Portanto, não fique deslumbrado com uma quantia grande de salário oferecida e não compare a quantia em reais - o custo de vida é alto por aqui.
  • Não existe décimo terceiro. Algumas empresas oferecem bonus para os empregados dependendo dos lucros da empresa e por desempenho individual, tudo isso é acertado na contratação.
  • Você assinará um contrato dizendo suas responsabilidades, benefícios e salário. Aqui eles chamam emprego "at will", ou seja, a qualquer momento este contrato pode ser terminado por qualquer das partes. O aviso prévio geralmente é de 2 semanas.
  • Férias geralmente são em dias úteis e variam de 5 a 10 por ano. Sim, POR ANO! Pra eles férias de 30 dias pagas é coisa de gente preguiçosa (já ouvi isso de um colega) e você ficaria surpreso de saber quantas pessoas não tiram férias e acabam perdendo - dias não tirados não são pagos como no Brasil e expiram depois de um certo tempo.
  • Licença maternidade é de 6 semanas. Não existe licença paternidade - De novo, muitas empresas estão mudando esta regra para atrair talentos, mas este é o normal oferecido.
  • Se você ficar doente e faltar no trabalho, você pode tirar 3 "sick leave" no estado da Califórnia, o que passar disso você tem que tirar os dias das suas férias! 
  • Se a doença for grave, você pode pedir licença não-remunera por um determinado período. Isso vale também se você tiver que cuidar de um membro da família doente
  • Almoço geralmente é um lanche rápido na mesa ou numa salinha dentro do escritório. Algumas empresas oferecem restaurante, mas você paga pela comida e geralmente almoço não demora 1h
  • Se você não for um alto executivo ou trabalha com vendas, possivelmente vai usar trajes mais informais, principalmente aqui no Vale do Silício
  • O QI (Quem Indica) é muito forte por aqui, por isso as pessoas estão sempre fazendo networking. Geralmente se um empregado indica um bom candidato que é contratado e permanece na empresa após o período de experiência, ele recebe um bonus. Por isso as pessoas tem muito cuidado em quem indicam e os melhores postos sempre acabam sendo preenchidos desta forma
  • Existem vários sites para procurar emprego, mas muitas empresas e também recrutadores usam o LinkedIn. Importante fazer um perfil profissional e correto, colocar uma foto profissional. O site também contém muitas vagas de empregos. Já fui contactada 2 vezes por grandes empresas através do LinkedIn.
  • Muito importante ter um currículo verdadeiro e enxuto e sempre escrever uma carta de apresentação para cada vaga que você aplicar. Não existe a idéia de ter apenas um currículo para várias vagas, geralmente um candidato tem um currículo específico para salientar qualidades para a vaga em questão
  • É muito comum a primeira entrevista ser feita através do telefone. Tente passar um telefone fixo ou atenda o seu celular num lugar tranquilo. Algumas empresas também utilizam videoconferência, skype, FaceTime para a primeira entrevista
  • O processo pode ser longo por isso não desanime. Dependendo do cargo pode acontecer até mesmo 3 entrevistas diferentes.
  • Existem muitas oportunidades para empregos em tempo integral mas também meio-período em todas as áreas.
  • Salários também podem ser pagos por hora e o mínimo é estipulado por cada cidade, aqui na região varia de 9 a 10 dólares. Geralmente empregos de meio-período são pagos por hora e variam muito dependendo da posição
  • Para encontrar empregos informais, procure no bom e velho Craiglist, Indeed também oferece várias posições. O bom e velho Google sempre ajuda também.
  • Algumas empresas terceirizam várias posições, então você pode se cadastrar numa agência de emprego e eles te mandam para um determinado cliente (empresa) por um determinado período ou para uma posição permanente. Gigantes como Facebook e Google fazem muita terceirização de serviços, principalmente no administrativo. Você envia currículo e faz entrevista para a empresa terceirizadora e eles tentarão encaixar você em projetos atuais ou futuros que apareçam
  • É muito comum trabalhar em casa, mas tome cuidado com empregos que prometem muito dinheiro por pouco trabalho de casa, geralmente são golpes principalmente se você tem que pagar uma taxa para se colocar no programa. Fique alerta e use sempre pesquise a empresa no Google!!!
  • Vale salientar novamente que grandes empresas exigem sempre que o candidato tenha visto ou permissão de trabalho nos EUA e todas as empresas irão pedir o número de Social Security (o CPF daqui) para poder deduzir os impostos devidos da sua folha de pagamento. Falsidade ideológica é crime sério aqui, principalmente evasão de impostos por isso tome cuidado com a tentação de apresentar documentos falsos para conseguir um emprego, pode arruinar a sua carreira (e vida). 
  • Todas as empresas checam referencia de empregos anteriores e também pessoais. Algumas pedem antecedentes criminais e dependendo da função como motorista por exemplo, exame para saber se a pessoa usa drogas.
  • Independente da sua situação imigratória, jamais permita que alguém te explore. Existem leis para proteger trabalhadores de diversos tipos de assédio: moral, sexual, verbal. Isso é sério! Empregadores podem usar seu medo para tentar te explorar, mas não aceite esta condição e denuncie! Se não quiser entrar em contato com a polícia local, entre em contato com o consulado brasileiro e peça ajuda
  • Jornadas de trabalho de 10, 12 horas são comuns por aqui, infelizmente. As pessoas vivem para trabalhar e não o contrário.
  • Colegas de trabalho serão colegas de trabalho. Geralmente eles não misturam muito vida pessoal com profissional. Seus colegas podem ser uns amores no escritório e fingir que não te conhece quando estiver com sua família e te encontrar no mercado. Aconteceu com meu marido...
  • Assédio sexual é muito sério! Geralmente relação amorosa entre  subordinado e chefe  é proibida pois as empresas temem que o subordinado seja vítima de assédio sexual e há sempre uma linha muito tênue entre romance e um futuro processo por assédio. 
  • Piadinhas racista, homofóbicas, preconceituosas, machistas e religiosas podem custar seu emprego por justa causa.
  • Se você trabalha de autônomo, não esqueça de declarar imposto de renda! Pente fino aqui é coisa séria e é a única coisa que vai com certeza te levar pra cadeia é sonegação de imposto.
Estas foram as dicas que vieram a minha mente no momento, mas devo ter esquecido de algo com certeza. No fundo, no fundo, trabalho é igual em todo lugar do mundo

Comments

  1. Bem legal seu texto. Sim, trabalho é trabalho em qualquer lugar do mundo, mas tem essas diferenças, que não são poucas! Algumas eu já conhecia, outras não. E é sempre bom saber, principalmente para quem pretende ir para aí, ir ciente do que vai encontrar.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Verdade! As vezes as pessoas acham que tudo funciona igual no ambiente de trabalho e não temos direitos trabalhistas por aqui

      Delete
  2. Pra mim a pior coisa de trabalhar nos EUA são a licença maternidade, férias e essa cultura de viver pra trabalhar. Já as férias do modo como são gerenciadas no Brasil me parece ruim pro contratante e pro empregado. Acho que talvez em países da Europa as coisas sejam mais balanceadas. Mas por aí as coisas funcionam pra eles então ta certo.
    Bjs

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Kenia, concordo com você. Se você pode tirar férias "picadas" dá para aproveitar melhor os dias fazendo emendas com feriados. Na Europa férias são coisas sérias e acho que as pessoas tem uma relação melhor com o trabalho

      Delete

Post a Comment

Deixe seu comentário, dúvidas, sugestões ou perguntas para a Paulistana na Califórnia!
Seu comentário será lido e respondido assim que possível!
Obrigada!!

Popular posts from this blog

É legal viver ilegal nos EUA?

...

O dia que a professora de espanhol quase enfartou em classe