Precisamos falar de eleições ?

Há uma semana o povo americano (em teoria) escolheu o novo presidente do país. Digo em teoria porque aqui existe um sistema de eleição bem diferente do que nós conhecemos no Brasil.
Pra resumir a história o sistema funciona mais ou menos assim: cada estado americano possui um certo número de delegados no colégio eleitoral que varia de acordo com o número de representantes do Senado e Congresso de cada estado. A Califórnia por exemplo tem 55, Texas 38, Florida 29, e assim sucessivamente. O total de delegados é de 538 e para ser eleito, o presidente precisa de no mínimo 270. O interessante é que o candidato que tem a maioria dos votos na maioria dos estados recebe todos os números de delegados daquele estado. Aqui na Califórnia a Hillary ganhou a maioria dos votos então ela levou os 55 delegados do estado. Por isso,  embora ela tenha ganhado a maioria do voto do povo (em números) ela não foi eleita porque ela perdeu em porcentagem para o Donald em alguns estados chaves que tinha um número grande de delegados em jogo e portanto, mesmo que quase metade da população daqueles estados tenha votado nela, todos os "votos" acabaram indo pra ele.
Número de delegados do colégio eleitoral por estado

Entendeu como funciona? Pois é, é complicado mesmo... Este sistema é muito diferente do que entendemos como democracia já que o voto do povo basicamente não conta individualmente porém ouvi discussões de que o sistema funciona para garantir que os estados com maior população não definisse o resultado final das eleições já que se fosse por maioria dos votos os candidatos iriam se concentrar apenas nos estados mais populosos ignorando os menores, não representando assim o povo americano...
Este é um dos principais motivos pelo qual está acontecendo até agora em alguns lugares no país protesto sobre as eleições, porque a maioria das pessoas no país que votaram (apenas 58.1% da população que poderia exercer este direito o fez)*, não votou no Trump.
Resultado eleições CNN até o momento**

Passei a noite acordada com o meu marido acompanhando os resultados otimistas a princípio e indo de preocupada para incrédula em questão de algumas horas. Na minha casa foi o mesmo sentimento de incredulidade e decepção quando acompanhamos o resultado do Brexit em junho, mas pra falar a verdade, depois que o Reino Unido votou para se separar da União Européia nós sabíamos que o impossível poderia acontecer novamente.
Estávamos acordados quando o Trump deu o discurso de vencedor e preciso confessar que não consegui prestar muita atenção no que ele dizia pois o filho menor dele roubou a cena, tentando ficar acordado enquanto o pai falava quase 3 horas da manhã horário NYC.
No dia seguinte foi difícil acordar com a notícia de que não tinha sido um pesadelo e que a pessoa que durante os últimos 2 anos fez inúmeros discursos cheio de racismo, intolerância e ignorância tinha sido eleito presidente dos EUA. Não queria nem ir pra faculdade tamanho era o meu desânimo, a vida precisava continuar...
Não foi surpresa chegar na faculdade e o clima estar super pesado e todos muito tristes e revoltados. Embora não tenha discutido sobre política nas minhas classes os professores deram palavras de ânimo para todos, mas podia ver que eles também estavam decepcionados.
Alguns amigos preocupados me enviaram mensagens me perguntando o que será daqui pra frente, e esta resposta ninguém sabe responder porque ninguém tem idéia do que o Trump fará durante o seu mandato. O certo é que muitos americanos apesar de dizerem que não são racistas, homofóbicos, intolerantes religiosos e anti-imigrantes, votaram no Trump porque ele trouxe uma mensagem de esperança (????) e mudança para o país.
Enquanto isso mulheres, grupo LGBTQ, muçulmanos, imigrantes indocumentados, negros estão muito preocupados porque algumas idéias lançadas pelo candidato os afetam diretamente.
No momento o que tenho tentando fazer é não me deixar abater e pensar em formas concretas de poder fazer a diferença na comunidade em que vivo e é isso que no geral as pessoas estão sendo chamadas para fazer. Proteger o direito de todos e não se calar diante de atos de intolerância.
Todos agora estão tentando passar um sentimento de que devemos nos unir para construir um futuro melhor para o país, deixar nossas diferenças políticas de lado e caminhar rumo ao futuro, mas é um pouco difícil fechar feridas de tantas pessoas que foram atacadas e insultadas pelo Trump e alguns de seus apoiadores durante os últimos meses.
Acho que esta foto, o primeiro encontro entre o presidente Obama e o presidente eleito Donald Trump resume bem o sentimento por aqui...
Encontro do Obama e Trump na Casa Branca 2 dias após a eleição

Curiosidades:
  • os votos aqui podem ser enviados pelo correio antes da eleição e as pessoas precisam até a urna escrever o voto em um PAPEL. Não é falta de tecnologia não, é que é um mode de evitar fraude já que os votos podem ser contados e recontados e tricontados... 
  • não é preciso mostras documento de identidade para votar (eu também choquei com esta informação!)
  • voto não é obrigatório 
  • a contagem de votos oficial não foi terminada.

Agora, eu peço, por favor Brasil não me decepcione novamente em 2018 e aprendam a lição!



Fontes:
* http://www.electproject.org/2016g
** http://www.cnn.com/election/results/president

Comments

  1. É tudo uma grande incógnita. Eu achei que fosse piada. Demorou para cair a ficha. Não me ocorreria que uma nação que preza tanto pela liberdade de opinião e pelo direito de todos, tão vanguardista, fosse pensar no fundo de maneira tão atrasada e fazendo prevalecer aquele velho ideal conservador.
    Mas enfim, sou uma otimista. Acho que apesar de todas as ideias radicais que o fizeram ganhar tantos votos entre os mais conservadores, o cara não é tão bobo assim de querer brigar com o resto do mundo. Por mais que os EUA sejam a nação mais poderosa do mundo, precisam se relacionar com outros países. O que temo é que por ser essencialmente um empresário, pensar como empre$ário, sentir como empre$ário, acredito que a veia capitalista de visão voltada para o lucro vai fazer vítimas dentro do país... principalmente em relação a programas sociais. Acho que uma boa parte da população menos favorecida vai sofrer. Infelizmente!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Esta é uma das preocupações Mari, mas vamos aguardar e ver o que vai acontecer porque ele nem começou e já está mudando o tom de alguns discursos... vamos torcer que as coisas melhorem mas vai ser difícil unificar as pessoas depois de tantas palavras jogadas ao vento

      Delete
  2. Já eu acordei ainda me perguntando se era um sonho, pois nos termos livrado de uma criatura tão corrupta, com mil e uma tretas/crimes nos quais ela esteve no meio direta e indiretamente é um alivio. A resposta a ele foi positivíssima, dolar lá em cima, Russia e Síria querendo paz, Israel querendo estabelecer a relação quebrada pelo muçulmano que ainda se encontra no poder, entre outras coisas. O politicamente correto estava acabando com esse país. Trump tem punho, visão e experiência em negócios/decisões difíceis, longeeee de ser perfeito, mas em comparação com a outra escolha que acha que ser mulher é mérito político, mesmo senda uma que fez m*** atrás de m**** e corrupta até dizer chega (eu pelo menos nunca vi ninguém honesto ficar milionário com política) bem melhor. 0 vai deportar apenas imigrantes ilegais que aquém do crime da ilegalidade estejam cometendo outros, o que acho mais que certo e ainda prometeu tentar uma reforma imigratória, já que os democratas só prometem. Latinos e negros foram bem responsáveis pela eleição dele, os votos entre os latinos foi de 37%, o que demonstra a insatisfação com o atual tipo de governo, pois é um número considerável. Não fosse o colégio eleitoral New York e California escolheriam SEMPRE o destino do país, os democratas estariam eternamente no poder e política é algo no qual deve haver rotatividade, a não ser que esteja tudo ótimo, o que definitivamente não é o caso, basta ver os índices de pobreza/criminalidade. E pra terminar o cara ainda não vai aceitar o salário de presidente, poupando os impostos do povo. Por agora tá saindo melhor que a encomenda.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Cíntia! Obrigada pelo comentário e por compartilhar seu ponto de vista. nao creio que de dois males ele seja o menor porém ele foi eleito e agora é preciso ficar de olho no que vai acontecer para que pessoas menos favorecidas não sejam prejudicadas num governo mais preocupado com o crescimento econômico a qualquer custo. Quanto a rejeição de salário de presidente creio que foi mais um jogo de marketing já que um presidente ganha de salário 400 mil dólares por ano e isso pra ele dever ser apenas trocado. O contribuinte ainda vai pagar por todas as despesas dele e a segurança dele e de sua família - que já começou e custa atualmente 15 milhões de dólares do contribuinte. Agora vamos esperar e ver se ele irá cumprir o que prometeu, apesar que acredito que muitas coisas que ele prometeu para ser eleito não vai se cumprir simplesmente pelo fato de ser inconstitucional e equivocado como por exemplo fazer o México pagar por um muro que já existe em partes e não para nenhum ilegal de entrar no país - já que a maioria vem de avião com visto e nunca retorna... agora infelizmente é esperar e ver o que vai acontecer.

      Delete

Post a Comment

Deixe seu comentário, dúvidas, sugestões ou perguntas para a Paulistana na Califórnia!
Seu comentário será lido e respondido assim que possível!
Obrigada!!