Qual é o seu nome americano?

Na região onde moro há uma comunidade muito grande de asiáticos. Coreanos, vietnamise, chinês, japonês e portanto na faculdade onde estudo poderia dizer que mais ou menos 75% dos alunos é de origem asiática.
Todo mundo sabe (e se você não sabe, vai ficar sabendo agora) que não é fácil pronunciar alguns nomes e quando eles se parecem um com o outro então? Os professores sempre ao começar a fazer a chamada já avisam que se o nome for pronunciado errado, para a pessoa não se ofender e corrigí-lo. Até aí tudo bem. Algumas pessoas preferem ser chamadas pelo "American name", ou seja, eles traduzem ou adotam um nome como Sebastian, Joann, Aodrey. Algumas pessoas, como uma ex colega chamava-se River. Até aí tudo bem, é uma escolha da pessoa que deve ser respeitada já neste país as pessoas até  recebem carta do banco ou até mesmo tem o apelido adotado em documentos  ao invés do nome (eu já vi um conhecido que tinha na driver's license NED ao invés do nome dele).
No primeiro dia de aula a professora começa a fazer chamada e eu já sabia o que me esperava...
"Elena". Levantei a mão e disse que não era Elena e sim Eliana. A professora pergunta de novo como se pronuncia, eu repeti Eliana. Sério, pode parecer a coisa mais idiota do mundo, mas não aceito que me chamem de Elaine (Ileeeine) ou Elena (Eliina). Sei que ninguém vai pronunciar o meu nome do jeito que nós brasileiros fazemos, mas trocar de nome jamé.
A professora me olha com a cara torta e continua a chamada. A cada colega asiático ela pergunta "Do you have an American name?" o que alguns dizem rapidamente e outros dizem apenas que não. Aí um que chamava-se Lagnegyte (impossível de pronunciar, ela teve que soletrar) ela perguntou se ele tinha um "American name" e ele disse que não ela falou "Vou chamar você de L".
Péraaaaaaaaiiii, mermão!
Como assim a professora simplesmente decidiu que o nome da pessoa é difícil de pronunciar e vai colocar um apelido nele pra fazer a vida dela mais fácil???
Ao terminar a chamada ela continuou com a aula e aí quando achei que seríamos dispensados, ela veio com um sermão enorme sobre "American name".
Ela falou que como estamos morando na América devemos fazer de tudo para facilitar a nossa vida e também a vida dos outros, que ninguém gosta de ter o nome trocado ou pronunciado de forma errada, então seria uma ótima idéia que as pessoas com "nomes complicados" adotar um nome americano. Ela explicou que isto não vai mudar quem nós somos e a nossa cultura, só vai fazer a nossa vida mais fácil.
Sinceramente, eu fiquei extremamente ofendida com o que a professora falou. Pode parecer exagero gente, mas desde quando você tem que mudar o seu nome para fazer a vida dos outros fácil? Sei que ela só estava querendo ajudar, mas achei extremamente de mau gosto colocar apelido nas pessoas pra fazer a vida dela mais fácil.
Foi a primeira vez que encontrei uma professora assim, que por sinal, é peruana e fala espanhol. Todos os professores que encontrei até agora respeitam os alunos e aqueles que não tem um "nome americano", eles chamam pelo nome mesmo.
Engraçado que na próxima aula que fui o professor com o sotaque mais texano do mundo chamou o meu nome e falou bonitinho!! O único trabalho que ele teve foi ler o que estava no papel, gente! E pra minha surpresa ele pronunciou todos os nomes asiático bonitinhos e aqueles que ele tinha dificuldade, soletrou.
Agora gente, me dá uma opinião por favor, pra eu não achar que estou ficando louca... será que eu estou exagerando com esta questão de nome? Até que ponto precisamos nos "Americanizar" pra fazer a nossa vida e a vida dos outros mais fácil?

PS: As aulas já começaram num ritmo maluco, mas eu prometo que escrevo sobre as férias assim que possível!

Comments

  1. Eliana (agora vou parar de te chamar de Paulistana :), não acho que vc está ficando louca não. Eu acho que tudo tem um limite, e mudar um nome para facilitar a vida dos outros está muito além do meu limite. Somos estrangeiros, e isso nunca vai mudar, e não acho que temos que nos americanizar desta forma. E mesmo ela tendo dito que o nome não muda quem vc é, eu acho que meu nome me representa sim, por isso que até mesmo meu sobrenome fiz questão de manter! Eu recentemente escrevi um post (n publiquei ainda) sobre a dificuldade que as pessoas tem com o meu nome. Eu acho que a boa educação diz que a pessoa precisa se esforçar em dizer o seu nome corretamente, ainda mais uma professora!! Achei mto feio da parte dela tal postura! Se a pessoa prefere mudar, acho que é uma escolha pessoal que não deve ser criticada, mas ela achar que a pessoa DEVE mudar, isso sim merece ser criticado. Bjuss

    ReplyDelete
  2. Elena,

    Concordo com você! Realmente o nome é parte da nossa identidade. É verdade, que há uns nomes complicados, daí eu soletraria.
    Meu nome é Elizabete, apesar de que era prá ter sido registrada como Elizabeth. Daí, como prefiro o Elizabeth, já me apresento como Elizabeth.

    ReplyDelete
  3. Nossa, essa professora pegou pesado. Nada a ver essa negócio de facilitar a vida do povo daqui, o nosso nome é o nosso nome e acabou, eu concordo com vc, acho que vc nao tá exagerando, não. E outra, ela fala espanhol, não é tão difícil para pronunciar seu nome, né?
    Eu, no Brasil tinha que faslar meu noma várias vezes pq o povo sempre pensava que era Cássia, ou Tati, acredita? Haha..E ainda meu nome é com "C" ao invés de "SS" enfim...acho que todo mundo quer se chamado pelo o nome certinho...
    Beijo

    ReplyDelete
  4. oi Paulistana, eu acho q ñ custa nada adotar um nick pq se no Br isso ñ é regra, nos EUA é. Todos teem nick aí. E depois, desde q estejamos em terra alheia devemos superar mta coisa. Estranhei o fato de q essa professora tb é estrangeira mas pelo q vc detalhou ela foi educada. Desculpa se desagradei mas aprendi a ser honesta qdo nasci e qdo fui morar aí percebi q o americano comum tb é mto honesto. Faz mto tempo isso, não sei se mudou, pq a imigração desenfreada está mudando as características dos países. Bjs...judy

    ReplyDelete
  5. Nossa mas que histórias as suas estou adorando ler teus posts e sempre ver algo diferente daqui com relaçao aos nomes assim como vc não mudaria nunca afinal ele tem a nossa energia e a nossa força....

    ReplyDelete
  6. Oi Eliana, primeira vez passando por aqui. E me identifiquei e muito com esse post. Eu desisti de perguntar para pronunciar o meu nome corretamente. Como eles pronunciam o "R" meu nome fica com o som de "RRRRRRRRRenata" as vezes nem consigo entender o meu proprio nome por conta da pronuncia incorreta. Meu caso e um caso perdido. Bjo.

    ReplyDelete
  7. Desculpa comentar outra vez, mas é que queria comentar sobre o que a Judy comentou. Não é regra no EUA vc mudar seu nome para facilitar a vida de ngm. Pelo contrário, a maioria dos americanos que conheci respeitam o nome das pessoas, e sempre são educados os suficiente para tentar aprender o seu nome. Mesmo estando em terras alheias, acho que existe um limite para tudo, e mudar nosso nome por conta de facilitar a vida dos outros ultrapassa este limite!!! Não é todo mundo que tem nick por estas bandas, alguns nicks comuns são o nome em uma versão mais curta, como tbm existe no BR, mas mudarem completamente não é um hábito. Bjusss

    ReplyDelete
  8. Eliana, post muuuuuito interessante, viu? Meu marido me chama de "Hebeca" e acho muito legal da parte dele. Gosto do meu nome do jeito brasileiro, mas entendo que aqui as pessoas falam meu nome do jeito americano (até pq meu nome é super comum por aqui).

    Entendo vc. Acho q a professora n quis ofender ng, apenas "ajudar", mas tb preferiria dispensar essa ajuda! hehe

    Beijão!

    ReplyDelete
  9. Hiiii eu estaria ferradis rss se morasse ai, kkkk Eu e meu nome temos longa aventura no mundo, mesmo no Brasil as pessoas erravam meu nome por demais, Ouuuuu quando tinha apenas meu nome numa lsita me chamvam, SENHOR Wilqui...eu levantava linda e gorda kkkkk isso acontecia demais em medicos, kkkk meu nome é na verdade Wilquilerli, sim essa 11 letras ai juntas, com o W fazendo som de u, Uilquilêrli a pronuncia, entao nunca conseguem dizer, ai foram diminuindo pra Wilqui a assim ficou, o que facilitou um pouco mas algumas pessoas dizem Vilqui, vilka, milka, afff sao tantos aqui na Noruega, eles nao Norueguesam os nomes nao,(pelo menos o daqui de onde moro nao) gracas a Deus ainda sou Wilqui por aqui!!! Adorei o post boa volta as aulas, grande abraco.

    ReplyDelete
  10. HAAAAAA esqueci, rss por isso voltei, rsss
    Como seria meu nome americanizado?
    Se der depois me diz fiquei curiosa, kkkkk
    bjs

    ReplyDelete
  11. Oiii

    quando eu morei no Canadá, as minhas amigas coreanas tinham um "american name". As africanas também. Aqui na Alemanha nao tem essa frescura, nao. Os alemaes respeitam a individualidade de cada um. Faz parte da política de tolerancia...

    bjsss

    ReplyDelete
  12. Nao acho que voce esteja errada nao, desde quando o mundo inteiro deve girar em torno dos americanos, do que faz a vida deles mais facil?
    Eles ficam p*** da vida quando nos pronunciamos os nomes deles errado, pq nos nao deviamos ficar chateados?

    E outra se a pessoa nao quer o tal nome americanos, quem eh essa professora para sair apelidando os alunos? Ainda mais ela que eh exportada como esses mesmos alunos com nomes dificeis.

    Eu na verdade nao me importo quando os americanos me chamam errado, mas pq na verdade o meu nome eh americano (retirado do seriado A feiticeira) e o erro foi da minha mae que ao inves de colocar o "th" no final colocou no comeco.

    ReplyDelete
  13. Ridiculo dessa professora, nao eh so pq moramos aqui que temos que trocar de nome pra facilitar as coisas. E as pessoas que nascem aqui com nomes exoticos? Vao ter que troca-los tb?

    Mt poucas pessoas conseguem pronunciar Lucia do jeito que se fala no Brasil. Eles colocam o acento no i envez do u. Eu detesto, mas ja tentei corrigir e nao da. E ja fui chamada de Luxa, Luchia (com acento no i), Loucienda e ate Ruth (quando falo Lucia com a nossa pronuncia, alguns entendem Ruth). Cassete, viu?

    bjos

    ReplyDelete
  14. Cheguei tarde aqui na discussão, mas mesmo assim, vou opinar:
    FALA SÉRIO!!! Ah não! Essa professora tá de sacanagem, né? Eliana é um nome que existe em inglês há séculos!!! Inclusive, tenho um casal de amigos americanos (ela de Kentucky, ele do Texas) que acabaram de ter neném e escolheram qual nome para a filha deles?! ELIANA!
    Eu detesto essa palhaçada de ter que mudar o nome para a língua local...ok, entendo quando o nome é mega complicado (tive um aluno ano passado que tinha um nome em Xhosa, aquela língua africana que você faz literalmente um "click" com a língua, sabe? Aí não tinha jeito...ele já começava falando que "My name is ..., but you can call me Anthony") mas se seu nome é de origem latin, não tem pq "traduzir" né? Eu tenho muita raiva disso. Quando estudei espanhol na faculdade aqui nos EUA, a professora dava "nome em espanhol" para todo mundo, aí me chamava de "Elena." PQP! Eu expliquei para ela mil vezes que Elena não era meu nome, meu nome era Helen e que no Brasil, meu país natal, todo mundo de chamava de Helen (com o H mudo...que inclusive é como meus próprios pais me chamam...) então não tinha porque "traduzir." Ela insistiu tanto, que lá pelas tantas, eu simplesmente não respondia...ficava muda quando ela chamava "Helena"...pode até ter sido malcriação minha, mas me irrita muito...alguns nomes (Eliana incluso :) não precisam de tradução, né?! ;)

    ReplyDelete

Post a Comment

Deixe seu comentário, dúvidas, sugestões ou perguntas para a Paulistana na Califórnia!
Seu comentário será lido e respondido assim que possível!
Obrigada!!