A Califórnia em que eu vivo...

Como havia comentado em algum post anterior eu meio que vim parar na Califórnia sem querer.
Na verdade tudo o que eu sabia da Califórnia eram as informações dos filmes e seriados americanos, que mostram aquela vida luxuosa de Beverly Hills e a vida descontraída dos surfistas e gente que adora morar a beira da praia.
O que ninguém me contou é que esta é a realidade de algumas pessoas sim, mas não da maioria dos californianos, principalmente daqueles que moram pelas bandas de cá, na região de San Francisco. A Califórnia é giiigante e com tantos climas, culturas, pessoas e costumes que sinto até injusta a minha tentativa de tentar explicar pra alguém como é a vida aqui. Porque sim, a Califórnia pode ser boa ou ruim, depende da pessoa que você perguntar, por isto a  singela visão sobre a Califórnia que eu conheço, levando em consideração a minha experiência, o que vi, vivi e ouvi por aqui. As diferenças são muitas, mesmo levando em consideração de cidade pra cidade. Mas algumas características são comuns. Ou pelo menos se percebe na maioria das vezes e das pessoas e é isto que quero falar um pouco, talvez matar um pouco a curiosidade de quem, assim como eu, achava que a vida na Califórnia seria como a do Seth, Ryan, Marissa e compania do seriado O.C.
O meu primeiro espanto quando cheguei por aqui foi o clima. Achei que teria que me acostumar a morar num lugar quente, mas as temperaturas são agradáveis. Chove alguns meses por ano na época do inverno e depois passamos 8, 9 meses sem chuva. E por causa do Oceano Pacífico a tão famosa neblina é comum nos meses de verão o que pega muita gente de surpresa quando vem passar as férias na região porque a temperatura chega a uns 15 graus em San Francisco. E basta dirigir apenas alguns minutos pra uma cidade vizinha e a temperatura está beirando os 30 graus. Os dias são ensolarados, mesmo que seja frio, o que eu amo. E quando chove, chove pra valer. Apesar de parecer loucura, sim neva por aqui. Mas o por aqui que eu falo é na região montanhosa ao norte do Estado, perto da Sierra Nevada, mais ou menos umas 4 horas ao norte de San Francisco. E é pra lá que muitos vão todos os finais de semana do inverno para esquiar, principalmente na região linda do Lake Tahoe.
As praias são bonitas, mas a água é extremamente gelada, apesar de você sempre ver crianças brincando na água e pessoas passeando na praia com blusas de frio e bota, todas as épocas do ano. E claro, os surfistas com suas roupas de borracha, que só Deus consegue explicar o que eles fazem naquela água gelada em meio a tubarões e ondas gigantes. Como eu nunca fui chegada a me torrar na praia, eu me dei bem com o estilo daqui. Aprendi a apreciar uma tarde tranquila sentada na areia, lendo um livro ou simplesmente olhando o mar. E se você estiver esperando um vendedor trazer aquele espetinho ou bebida, você está bem enganado. A praia aqui é só praia. SE você quiser comer, tem que levar lanchinho de casa ou então ir pra algum restaurante que as vezes nem é tão próximo da praia. E nem pense em beber algo alcóolico porque é proibido (claro que isto não quer dizer que as pessoas não façam, mas correndo o risco de serem multadas). Porém ir a praia é sempre uma ótima experiência, principalmente na região de Monterey e Carmel-by-the-Sea, há mais ou menos 1h ao sul de onde moro pois pode-se ver lontras no mar e uma vez sentada com uma amiga na areia pude ver dois golfinhos brincando bem próximos da costa, a coisa mais linda do mundo. Um dos meus maiores sonhos é poder ver uma baleia, já que por aqui é a rota de migração delas. Se você der sorte pode avistar alguma perdida perto da Golden Gate, mas geralmente o ponto mais legal para ir ver a migração é no nacional parque chamado Point Reyes, um dos lugares mais lindos deste lugar, que fica mais ou menos 1h e 30min ao norte de San Francisco, seguindo a Highway 1. E claro não posso me esquecer dos leões marinhos que estão sempre prontos para uma fotografia no Pier 39 em San Francisco.
Outra coisa que adoro por aqui é a quantidade de parques e praças para fazer caminhada, andar de bicicleta, fazer o famoso hiking que é simplesmente uma caminhada pelas montanhas. Adoraria aproveitar melhor a estrutura que temos ao redor, mas o meu marido não é muito chegado nisto. Mas os californianos adoram e muita gente vai dizer que o hobby no final de semana é fazer alguma atividade ao ar livre, seja caminhar, andar de bicicleta, olhar pássaro, fazer picnic ou coisas semelhantes. O imporante é estar lá fora, outdoor, aproveitando a natureza. Há muitas opções de lazer que são gratuitas ou de baixo custo, o que eu adoro, sempre tem alguma coisa diferente e nova pra se fazer.
Isto me faz lembrar que as pessoas aqui são muito preocupadas com a saúde e muitas pessoas praticam esportes e tentam levar uma vida mais saudável. Então é muito comum você encontrar por aqui pessoas que possuem uma dieta alternativa seja vegetariana, vegana (nada de alimentos de origem animal), sem carboidratos, sem açúcar e claro, tudo orgânico. E isto acaba refletindo nas festas de aniversário, nas reuniões e até mesmo quando eles vão comer junk food como pizza. E pela população ser assim, acaba-se encontrando com certa faciliade supermercados e restaurantes alternativos também. Claro que existem McDonald's da vida, mas a maioria da população não come por lá, principalmente as crianças.
E por falar em crianças a educação das mesmas por aqui também segue o seu estilo alternativo. Nem em sonho você educaria uma criança aqui com palmadas, porque com certeza se a professora ou o seu vizinho descobrir, acabam chamando o Serviço Social pra te denunciar e você acaba sofrendo no mínimo uma investigação por abuso de criança. Então como faz? Aqui tem um tal de ficar argumentando com criança  explicando pra ela o porque disso, o porque daquilo, o porque ela não pode aquilo e o porque dela fazer isto. E se a criança começa a argumentar, tem toda uma explicação do porque do porque do porque... aqui não existe: "Não e pronto porque sou sua mãe.". Toda uma filosofia para educar crianças que seja inteligentes emocionalmente e independentes. Falar não pra uma criança é quase um crime, contrariá-la então até a mesma chorar de jeito nenhum!!!
Há uma mistura racial e cultural imensa por aqui. Quase todos os meus vizinhos são imigrantes. Principalmente na região do Vale do Silício, há gente de todas as partes, então é comum ver pessoas na rua usando saris, burcas, etc. Há restaurantes, supermercados e até mesmo escolas culturais para atender a demanda dos expatriados, o que eu acho ótimo! Depois que vim morar aqui aprendi a comer comidas típicas de vários tipos como indiana, tailandesa, mexicana, cubana coisas que jamais experimentaria em São Paulo primeiro pelo preconceito e claro, pelo preço absurdo desta comidas "exóticas".
Mas não é só na culinária que esta mistura de culturas influenciam a minha vida. Como preciso conviver com pessoas diferentes, de culturas e pensamentos diferentes, religião, costumes e tradições, acabei aprendendo muito a ser mais aberta para aceitar as nossas diferenças e a respeitá-las, mas também as minhas tradições e cultura parecem que ficaram mais fortes também. Apesar de parecer que somos todos tolerantes, às vezes me surpreendo como as pessoas reagem ao ouvir a opinião de uma pessoa que é contrária a da maioria. Por exemplo, se você disser que é contra o casamento gay, mesmo que seja a sua opinião, as pessoas começam a te taxar de um monte de rótulos e a tolerância e respeito acabam indo para o ralo. Acho um pouco hipócrita. As pessoas se respeitam se você tiver a mesma opinião que a da maioria, senão é logo taxado de careta ou granola, ou sei lá o que.
E como consequência viver aqui pode ser algo um pouco solitário, porque não é fácil se relacionar com estas pessoas tão diferentes, porque as nossas expectativas quanto ao comportamento de um amigo, por exemplo, podem não ser correspondidas por conta das diferenças culturais de relacionamento.
E por falar em relacionamento, como é difícil se relacionar com pessoas por aqui! Não somente pela questão cultural, mas porque parece que a maioria esta interessada em apenas fazer networking, caso um dia precise de você. AS pessoas no geral são muito simpáticas, principalmente em lugares como San Francisco, onde elas tratarão um turista muito bem, mas é tão difícil criar laços de amizades. É cada um no seu quadrado. As vezes a vida parece meio plástica, falsa. Aqui não existe esta coisa de visitar amigo em casa, passar horas ao telefone, encontrar pra bater papo. Tudo tem que ser agendado antecipadamente, porque todos estão correndo com o trabalho e cuidando dos próprios interesses. Isto pra mim foi uma das coisas mais difíceis e hoje em dia mesmo morando aqui há 5 anos, tenho pouquíssimas amizades daquelas com definição brasileira.
E por falar nos brasileiros, aqui como em todo lugar do mundo tem aos montes. E dos mais variados tipos, como já expliquei num post anterior também. Mas eu não procuro brasileiros. Se eles chegam até mim e são boas pessoas ficam, se não chegam e vão embora também. O segredo é encontrar um e você acaba encontrando uma comunidade inteira. A minha cabeleireira por exemplo, é brasileira. Existem vários restaurantes, supermercados, mecânicos até mesmo escolinha de português na região. Percebi que tem bastante gente morando aqui da região de Goiânia, contrário a outra costa onde era mais comum encontrar pessoa dos estados do Sudoeste do país. E claro, se você pagar 50 dólares a mais na sua tv a cabo, pode ter acesso a Globo internacional com suas novelas e jornais e alguns programas infantis pra matar a saudade de casa.
Os salários daqui são mais altos em relação a maior parte do país, mas também o custo de vida é muito grande. San Francisco é uma das cidades mais caras do país para se viver, por exemplo. E talvez por causa do custo de vida é que as pessoas trabalhem tanto. Quando a bolha imobiliária estourou em 2008, muitas pessoas perderam as suas casas para os bancos porque estas estavam com o preço super inflados. E por muito tempo os preços das casas estavam baixos, mas agora subiram novamente. E pela imensa procura, até mesmo alugar uma casa custa caro. Um apartamento de 1 dormitório por exemplo, na região do vale do Silício, deve custar em média 1.700 dólares. E não é nada de luxo não viu, coisa simples mesmo. Então mesmo que o seu salário seja maior, não fica muito dinheiro no bolso.
O transporte público é precário. Não no sentido de ser velho ou de não existir, até existe e é bom, o problema é que se demora muito tempo para chegar de um lugar ao outro de ônibus e por isto é quase mandatório ter um carro por aqui. Sem um carro, você não é ninguém ou a sua vida fica bem limitada. O trânsito aqui não é ruim, porque existem as chamadas Freeways, estradas com mais ou menos 4 pistas em cada sentido, que ligam uma cidade a outra. Mas é claro que em horário de pico fica um congestionamento enorme. Uma coisa que não gosto aqui é a agressividade de alguns motoristas e a falta de noção de outros. Mas nada comparado com a loucura de São Paulo e seus motoboys.
Pra ser sincera achava que aqui era bem mais seguro há alguns anos. Infelizmente as notícias que via na televisão no Brasil parecem que estão ficando cada vez mais comuns por aqui. Assassinatos, estupros, sequestros e muitos roubos. Tanto que direto aparece alerta na televisão para se tomar cuidado com celulares, principalmente smartphones nos ônibus e metrô de San Francisco. Uma pena. Tem uma cidade chamada Oakland que sempre está nos noticiários com assassinatos de bala perdida ou de envolvimento de gangues.
E assim é a Califórnia que eu conheço, que  aprendi a amar e a chamar de lar. Não é um lugar perfeito como os seriados mostram, mas é um bom lugar para se viver, com um ritmo diferente do que eu vivia em São Paulo. Se este vai ser o meu lar pra sempre, só o futuro me dirá.

E você conhece uma outra Califórnia? Tem algo que gostaria de saber?  Adoraria ouvir os seus comentários!

Comments

  1. Ai que legal legal Eliana! Amei este post! Eu sempre tive vontade de conhecer San Francisco, e claro, outras partes da CA, mas nunca fui. Morei em Tucson, no AZ por 5 anos (Estado ao lado), sempre falava que um dia iriamos mas acabou que nunca fomos. Bryan ja foi antes de me conhecer, mas eu nunca tive a oportunidade. Um dia, quem sabe. Eu ouvi falar mesmo (ateh do Bryan) que tem mesmo muito crime em algumas areas da CA, mas qual eh o lugar que nao tem??? Ateh em Tucson tinha, ateh aqui onde moro que eh um ovo eh cheio.
    Fiquei aqui me imaginando sentada na praia lendo um livro com a Golden Gate ao fundo... eu amo o mar. Nasci e morei por muitos anos no litoral de Sao Paulo, mas mesmo que eu tb nao seja de ficar torrando no sol, na areia, ir a praia pra nadar, eu sempre gostei de estar perto, de poder ir andar a beira mar, sentir o cheiro da maresia, ouvir o barulho das ondas... eh tao energizante. Sinto falta. Um dia quem sabe... San Francisco e San Diego estao na minha lista. :)

    ReplyDelete
  2. Oi Nani!!
    Você vai gostar muito da região!! Sei bem o que você falou pois morei em New Jersey por um ano e sempre dizia que iria em tal e tal lugar porque era perto e acabei indo embora sem conhecer um monte de lugares, como por exemplo Boston! Morro de vontade de ir pra lá!!
    Se um dia tiver a oportunidade de vir, será um prazer enorme conhecê-la pessoalmente viu!
    Apesar de todos os pesares eu não me vejo morando em outro lugar que não seja aqui pelo menos pelos próximos anos. :-)

    ReplyDelete
  3. Olha menina vc como sempre arrasando nos teus posts! Me senti visitando a Califórnia ( exagerada mode ON ) lol Eu tinha aquela idéia completamente estereotipada da Califórnia, gostei muito de ler a respeito principalmente do seu ponto de vista como conterrânea. Bjs e um ótimo fim de semana!

    ReplyDelete
  4. Obrigada Eliana. Quando eu conseguir ir pra essas bandas te aviso, quem sabe a gente nao marca uma cafe? Adoraria! Olha, eu acredito mesmo que voce acabou nao conhecendo Boston. Eu morava a apenas uma hora do Maine, e quando era au pair nunca tinha ido la! Eu nao me conformava haha. Tanto que dessa vez que fui visitar (verao de 2012) uma amiga minha me levou la pra conhecer. Achei tao lindo. Acho que o dia a dia acaba fazendo a gente nao "perceber" o que tem ao redor, e quando temos o tempo pra viajar a gente acaba planejando ir para uma area mais longe... aih a gente acaba deixando passar os lugares mais proximos. Eh assim mesmo. Mas um dia voce vai a Boston e eu a San Francisco, hehe :)
    Beijos

    ReplyDelete
  5. Flor: Obrigada! É difícil ter aquela visão real do lugar a não ser que se tenha morado, não é mesmo?? Decidi escrever um pouco sobre a Califórnia das bandas de cá, porque muita gente estava procurando informações no blog.

    Nane: Prometo que vou pra Boston e vou querer as suas dicas sobre a região!

    ReplyDelete
  6. Eliana, quando visitei SF eu gostei bastante, mas me surpreendi com o clima, exatamente como vc falou! Minha Matron of Honor mora aí, e passamos o Natal de 2011 por aí. Achei tudo lindo, e quero voltar com certeza!! Bjss

    ReplyDelete
  7. Volte sim Aline! E não esqueça de me avisar pra tomarmos um café! Se quiser vir aqui na época do ano mais quente os melhores meses são setembro/outubro.

    ReplyDelete
  8. Muito bom seu post,me identifiquei em diversas situacoes citadas,como as mudancas,amizades,comidas e etc,sempre temos muitas historias pra contar,isso tudo nos faz crescer bastante,mas o que mais sinto falta 'e dos lacos afetivos que realmente por aqui nao tem muito,'e algo meio que contraditorio,as pessoas sao muito legais,mas sempre sinto falta de ir na casa da amiga jogar papo fora,aqui 'e cada um por si mesmo,acho super hipocrita as pessoas quererem que tenhamos as mesmas opinioes que elas ou ditar algo como absolutamente certo,cada um deve se respeitar e ter sua opiniao desde que nao agrida o outro,como voce citou se alguem falar que 'e contra o casmento gay as pessoam acham logo que 'e preconceito,eu nao sou a favor do casamento gay,mas tbm nao os discriminos 'e apenas minha opiniao e nunca agredi ninguem ou fui ofensiva.
    Muito bom saber um pouquinho sobre suas experiencias ... bJs :*

    ReplyDelete
  9. Julhia: as diferenças culturais, principalmente no relacionamento com outras pessoas acho que é o que mais nos choca. Mas não desista que aos poucos você vai conhecendo pessoas e elas vão abrindo mais espaço na sua vida. Como está sendo a sua adaptação?

    ReplyDelete
  10. Sim Eliana, quando for a Boston pode ficar a vontade pra perguntar. Eu nao sou muito boa com relacao a pontos pra visitar especificamente, sou daquelas que gostam de ir pra um lugar e andar deixando o vento me levar sabe? O bom de Boston eh que eh uma cidade otima pra bater perna, pra ver as coisas andando, a cada esquina, a cada virada, cada rua tem algo pra ver, eu amo. Sou suspeita pra falar. Alem de se poder andar bastante a peh por lah, tb tem o sistema do T (subway) super facil. Boston eh minha cidade xodoh. Qualquer coisa pode perguntar. Beijinho

    ReplyDelete
  11. Olá!
    Meu nome é Gabriel e eu tenho 20 anos de idade.
    Olha gostaria muito passar uma temporada em algum lugar que tenha brasileiros em San Francisco, pois eu não tenho um inglês fluente!(vai que eu preciso de uma ajudinha né?!?) =P
    você tem alguma sugestão?
    OBS: A empresa que eu trabalho tem filiais ai no EUA, ou seja tenho emprego garantido ai!
    mandando meu perfil do facebook:
    https://www.facebook.com/gabriel.viveiros.s?ref=tn_tnmn

    aguardando sua resposta!

    ReplyDelete
  12. Parabéns pelo seu blog. Morar no exterior é muito bom. Morei na Alemanha durante dois anos. No ano passado fui conhecer a Califórnia, mas não fui até São Francisco, quem sabe da próxima vez.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Se você puder retornar e visitar San Francisco tenho certeza de que irá gostar! Muito obrigada pelos elogios!

      Delete
  13. Olá tdo bem? Como não sei o seu nome, posso chama-lá de Paulistana então?

    Bem, estive pesquisando sobre o seu estado e me interessou muito, por algumas razões que pra mim são fundamentais. Por exemplo: ter acesso a carteira de habilitação e essa nova lei que autoriza pessoas trabalhar legalmente dentro das profissões estabelecidas. Gostaria de poder conhecer um pouco mais sobre a Califórnia, mas sabe como é neh, não dá pra confiar em qualquer um. Mas creio que posso tirar muitas dúvidas com sem problema algum. Um abraço e parabéns pelo seu Blog.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Paulo! Meu nome é Eliana, mas pode chamar de Paulistana mesmo :-)
      A partir do ano passado se não me engano, a carteira de habilitação começou a ser emitida para todos os imigrantes, inclusive os ilegais. Isso não quer dizer que o seu status imigratório irá mudar, mas pelo menos você não precisa sair andando por aí com o seu passaporte e tem uma forma de identificação válida por aqui.
      Obrigada pelos elogios, espero de alguma forma ajudar com informações úteis aqui no blog!

      Delete

Post a Comment

Deixe seu comentário, dúvidas, sugestões ou perguntas para a Paulistana na Califórnia!
Seu comentário será lido e respondido assim que possível!
Obrigada!!

Popular posts from this blog

É legal viver ilegal nos EUA?

...

O dia que a professora de espanhol quase enfartou em classe