Bem-vindo à terra do intolerante à lactose, gluten, ovos, vegano, vegetariano...

Se você tem algum tipo de restrição alimentar ou segue uma dieta específica a Bay Area é um dos melhores lugares do mundo para se morar. As pessoas respeitam e fazem de tudo para acomodar restrições alimentares sejam elas por conta de problemas de saúde ou apenas estilo de vida ou adotadas por questões religiosas.
Vou ser bem sincera que eu nunca tinha pensado muito sobre este tipo de coisa até ter me mudado para os Estados Unidos. Cresci numa casa onde a comida era posta no prato e se você quiser comer, comia, senão ficava sem comer. Cada uma das minhas irmãs tinham uma determinada preferência, como por exemplo a minha irmã mais nova não toma leite ou come nada que venha na forma de creme como strogonoff, requeijão, etc. Pra mim, aquilo era uma frescura, mas a gente sempre respeitou os gostos dela (apesar de quando crianças sempre tentar dar uma forçadinha pra ela comer estas coisas, até perceber que não tinha jeito, ela não comia e pronto). Nunca tinha conhecido uma pessoa que era por exemplo, alérgica à lactose.
O meu primeiro encontro com a realidade de alergia à comida foi quando fui ao McDonald's assim que cheguei nos EUA e pedi um sundae de chocolate. Para a minha surpresa o Sundae veio sem os amendoins em cima, o que eu achei muito estranho mas não quis perguntar sobre isto para o atendente. Ao retornar para casa perguntei para o meu host dad porque o sundae não tinha o amendoim e ele me explicou que muitas pessoas nos EUA eram alérgicas à amendoim e por isto como medida de segurança os amendoins do Sundae são entregues em saquinhos para quem pedir, assim não há contaminação dos outros alimentos. Lembro-me de ter ficado chocada com o fato de alguém ser alérgico à amendoim e muito mais por muitas pessoas nos EUA terem este tipo de alergia.
Ao me mudar para a Califórnia eu descobri que restrições alimentares não aconteciam apenas por conta de alergias, mas também por conta de filosofias de vida e também questões religiosas. Aqui aprendi o que era vegano, dieta paleolítica, alimentação gluten-free e também alimentos kosher.
Como eu trabalhei com crianças por vários anos aqui, era comum lidar com algum tipo destas restrições quando ajudava as mães a preparar algum tipo de playdate (encontro para as crianças brincarem), festas de aniversário e até mesmo preparar o lanche para a escola. Aqui eles levam muito a sério esta questão alimentar, respeitam e fazem de tudo para acomodar todo mundo o que é bom por um lado, mas confesso que enche o saco por outro lado também.
Lembro-me que uma das crianças da qual eu cuidava estudava numa classe onde um dos coleguinhas era extremamente alérgico à qualquer tipo de nozes, então sempre que eu ia fazer o lanchinho para levar para a escola eu tinha que ter certeza de que não havia nada no lanche do meu menino que tivesse nozes.  Claro que no caso era uma criança de apenas 4 anos de idade e a escola pequena estava preocupada já que ela era extremamente alérgica à nozes e qualquer contato poderia levar esta criança para o hospital, porém eu fico pensando até que ponto todas as pessoas ao redor devem fazer o esforço de mudar seus hábitos alimentares para acomodar uma pessoa com determinada restrição. Às vezes eu fico pensando neste tipo de coisa quando viajo de avião por exemplo... nunca aconteceu de eu entrar num vôo com alguém extremamente alérgico a nozes, mas o meu marido entrou uma vez e eles pediram para todos os passageiros que não comessem nada que tivesse nozes já que poderia passar algum traço para o ar condicionado e causar problemas para esta pessoa. Imagina se a única coisa que eu tivesse trazido para comer fosse um sanduíche com pasta de amendoim (muito comum por aqui) ou então tivesse comprado cookies com amendôas? Complicado né?
A questão de respeitar e tentar acomodar restrições das dietas é uma das coisas que facilitam e me admira muito no serviço de restaurantes aqui nos EUA, especialmente aqui onde moro. Em todos os restaurantes hoje em dia é possível encontrar pelo menos uma opção sem glúten (que virou modinha agora dieta sem glúten para emagrecer, mas novamente, muitas pessoas aqui nos EUA tem alergia ao glúten e precisam ter uma dieta gluten-free) e há várias opções vegetarianas também. Uma coisa que me deixa contente (e algumas pessoas abusam) é o fato de você pedir que alterações sejam feitas nos pratos do menu, adicionando ou retirando ingredientes do mesmo, o que facilita a vida daqueles que estão com alguma restrição alimentar sem custos adicionais.
Existem por aqui também restaurantes especializados em pratos veganos, que eu nunca tinha ouvido falar até colocar os meus pés aqui na Califórnia, ou seja, comidas que não contenham nenhum ingrediente que tenha origem animal. Comida vegetariana é super fácil de encontrar e confesso que a minha concepção de pratos vegetarianos mudou muito quando vim morar aqui. Antigamente achava que vegetariano vivia de salada e tofu, mas a variedade de pratos é muito grande e a comida é realmente saborosa. Eu particularmente gosto muito de pratos vegetarianos da cozinha Indiana e até mesmo aprendi a cozinhar alguns.
Nunca tinha pensado muito sobre o assunto até eu me deparar com restrição na minha alimentação, no meu caso por conta de saúde, onde precisava limitar a quantidade  de sódio e eliminar completamente o sal de cozinha. No princípio eu achei que jamais iria conseguir encontrar alguma coisa com sabor para comer depois de eliminar o sal da minha dieta, mas descobri as grandes possibilidades de comer bem e com muito sabor sem o nosso amigo branquinho. Outra coisa que percebi é a enorme quantidade de sódio que existem nos alimentos no geral, e fico boba em saber que um aperitivo de um restaurante aqui por exemplo, contém 2x a quantidade total de sódio que eu posso comer em um dia!!!! E como é que eu sei disto? Aqui na Califórnia existe uma lei em que qualquer restaurante que tenha mais do que 10 unidades precisa oferecer ao cliente a tabela nutricional dos alimentos servidos e a grande maioria também disponibiliza esta informação online. Então sempre que vou comer fora eu dou uma olhada para me preparar e pedir as modificações que preciso para poder comer.
O rótulo com informação nutricional dos alimentos ajuda e muito as pessoas que precisam ficar de olho em certos ingredientes proibidos. Aqui os alimentos vendidos nos supermercados possuem informação nutricional com descrição das calorias, quantidade de gordura, açúcar, proteína, fibra, sódio e também a descrição por quantidade do que contém o produto. Qual foi a minha surpresa, por exemplo ao descobrir que o nosso querido Nuttela, que é uma pasta de avelã achocolatada é composto principalmente de açúcar, pois este é o primeiro ingrediente da lista de ingredientes que compõe o produto!!! Ler estes rótulos ajuda bastante quem tem alergia pois por lei é preciso descrever com letras em negrito e em destaque se o produto contém glúten, leites, ovos, nozes ou se é produzido em lugares onde exista a possibilidade de contaminação com os mesmos, já que foi produzido em lugar onde estes alimentos também são manipulados.
Existem diversas teorias sobre esta "alergia" louca que os americanos tem com alimentos e infelizmente parece que está ficando cada vez mais comum encontrar pessoas com algum tipo de alergia alimentar. Algumas pessoas acreditam que o grande consumo de alimentos processados, que contenham high-frutose corn syrup e os alimentos geneticamente modificados estão causando esta epidemia de alergia nas pessoas, por isto o consumo de produtos orgânicos tem crescido e muito por aqui. Se comparado com o Brasil os alimentos orgânicos são bem mais baratos e bem mais acessíveis e sempre que posso compro produtos orgânicos. Uma coisa que não abro mão de jeito nenhum é comprar frango orgânico, pois infelizmente aqui se usa muito antibiótico para fazer com que o frango cresça rápido para o abatimento.
Então, se você tem algum tipo de problema com algum ingrediente ou comida, seja bem vindo ao paraíso do intolerante à lactose, gluten, ovos, veganos e vegetarianos, adeptos da dieta paleo e suas variações também. Aos que querem dizer adeus ao sal e ao sódio, a luta é pouco mais difícil, mas não é impossível encontrar boas opções para comer fora também. O importante é sempre ter uma atitude pró-ativa, não espere que você vá a um jantar na casa de alguém e a pessoa prepare uma comida especial para você. Ofereça de levar a sua própria comida (não há vergonha nenhuma nisto) ou leve um prato que você sabe que pode comer para dividir com outras pessoas, assim se não houver algo que você possa comer, você sabe que tem aquele prato preparado por você como alternativa. Tenho amigos maravilhosos que sempre preparam algo especial pra mim e fico sempre emocionada e agradecida, porque sei que é um trabalho a mais e eles fazem isto com todo cuidado e amor!
E se você não precisa pensar ou ler rótulos antes de comer, sinta-se abençoado e respeite outras pessoas que precisam ter este cuidado. Jamais tire sarro ou ignore quando alguém diz que não pode comer alguma coisa, tentando esconder o alimento porque isto pode trazer consequências seríssimas! Um amigo meu contou que quando seu irmão começou a namorar disse que a namorada tinha alergia a alho e o pai, como bom italiano disse que era balela, afinal, quem é que tem alergia a alho? Ele achou que era frescura por causa do gosto e preparou um banquete italiano regado a muito alho (bem picadinho, claro) para dar boas vindas à nova namorada que nunca tinha comido na casa deles. Pois ela mal começou a almoçar e teve que ser levada às pressas para o pronto-socorro. O sogro ficou morrendo de remorso e demorou um pouco pra namorada confiar comer novamente naquela casa, mas eles aprenderam uma valiosa lição naquele dia: alergia à alimento, pois mais absurdo que seja, não é frescura!

Comments

  1. Eu acho muito interessante esse cuidado que eles têm com alérgicos aí nos EUA e em outros países. Eu só fui conhecer pessoas alérgicas a amendoim, intolerância a glúten, etc., depois que saí do Brasil. Não que não tenha pessoas alérgicas no Brasil, é claro que tem, mas sinceramente eu nunca conheci ninguém que fosse alérgica com essas coisas, só com frutos do mar mesmo! haha

    beijos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Talvez eles sejam mais cuidadosos porque haja tantas pessoas alérgicas, não sei... antigamente achava que era frescura - porque eu tinha uma amiga que não gostava de certos alimentos e dizia que era alérgica!

      Delete
  2. Que bom! A gente acha que só pq é EUA, eles tacam gordura, açúcar e tudo mais, esquecendo das pessoas que querem uma alimentação mais saudável e equilibrada. No Japao o sundae não tem amendoim tb..

    K!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Também tinha esta impressão dos EUA, mas muitas pessoas se alimentam de forma inadequada porque é mais barato, infelizmente... se você quer ter uma alimentação melhor, tem que pagar literalmente o preço, mas o bom é que pelo menos está disponível!

      Delete
  3. Eu tive a mesma impressão que a Bah. A gente pensa que nos EUA só rola comida gordurosa e industrializada, mas fiquei boquiaberta com esse post. Achei interessante você falar do sal também. Brasileiro é bem apegado a sal, né? Daí nem consigo imaginar um almoço sem ele. Mas que bom que você encontrou alternativas saborosas.
    Beijos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Menina, nem me fale em brasileiro apegado à sal. Quando eu digo que não estou comendo sal, precisa ver a cara de horror e de "ô coitadinha" que as pessoas fazem, acho muito engraçado... mas eu também pensava assim... pior que agora tudo pra mim é muito salgado!

      Delete

Post a Comment

Deixe seu comentário, dúvidas, sugestões ou perguntas para a Paulistana na Califórnia!
Seu comentário será lido e respondido assim que possível!
Obrigada!!

Popular posts from this blog

É legal viver ilegal nos EUA?

...

O dia que a professora de espanhol quase enfartou em classe